Nada de VoLTE para a Claro: foco da operadora é em 4.5G

CEO Paulo Cesar Teixeira critica concorrentes que afirmam oferecer a tecnologia a partir do 4G+ e 4G Plus e ainda exaltam os “dados ilimitados”.

Durante a coletiva de imprensa da Claro Brasil, realizada no Palácio Tangará, em São Paulo, nesta quinta-feira (14), o CEO da operadora, Paulo Cesar Teixeira, afirmou que ainda não lançará as chamadas por 4G, o famoso VoLTE explorado pela TIM e Vivo nos últimos meses. Mais do que isso, aproveitou a ocasião para criticar os concorrentes quando o assunto é a rede e franquia de dados.

“É importante explicar que o 4.5G é mais do que o carrier aggregation. Vemos concorrentes colocando que tem o 4G+ e 4G Plus pelo carrier aggregation, mas isso todos têm”, afirma. Ele conta que a Claro utiliza as funcionalidades MIMO 4X4 e 256QAM, necessárias para o alcance da rede 4.5G e exclusivas da Claro para chegar à velocidade de 1Gbps por segundo, 10 vezes mais rápido do que o 4G convencional.



Ao citar o VoLTE, Teixeira diz que a tecnologia ainda precisa de aprimoramento para entregar maior qualidade aos consumidores, e que a experiência do grupo mostrou fragilidades do recurso. “Entendo que empresas que não tem frequência baixa como a Claro tem o máximo interesse de lançar (o VoLTE), até porque a penetração deles vai aumentar no sentido de cobertura, voz, mercado indoor, mas não temos essa dificuldade”.
Ele conta que a Claro até pensa em lançar o VoLTE, mas quando for possível alcançar todos os aparelhos e sem a percepção de problemas de qualidade, como acontece hoje.
Por fim, o empresário alfineta as operadoras que dizem oferecer dados ilimitados e diz que a Claro tem a preocupação de mostrar ao cliente os serviços de qualidade que possui, sem exagerar.

“Não existe essa questão de dados ilimitados. São dados que em determinado momento têm a velocidade reduzida, portanto as operadoras estão degradando a qualidade do serviço, não entregam o mesmo que entregavam quando o cliente contratou o plano de dados”, e ainda completa: “A Claro não faz isso, temos esse cuidado e portanto eu diria que não nos preocupa esse aspecto de que possamos eventualmente ou não estar priorizando um ponto ou outro. Mas a nossa prioridade nesse momento é a cobertura com o 4.5G”.


Claro X concorrência 
Além de destacar a tecnologia do 4.5G e falar sobre o uso da faixa de 700 MHz em mercados em que já houve a liberação da frequência, assim como a compra de mais frequências que seriam o seu diferencial, a Claro aproveita para falar sobre as chamadas ilimitadas lançadas em 2017.
Vale lembrar que o CEO Paulo Cesar Teixeira chegou na operadora há cerca de 8 meses, quando o ilimitado começou a acontecer. Sobre o assunto, ele afirma que acelerou, junto com o diretor da Claro no Brasil, José Antônio Félix, a chegada do ilimitado, mas que esta já era uma tendência para o mercado.
“O que alavancou as vendas, o mais surpreendente foi o ilimitado no pré-pago, que ninguém acreditou que faríamos”, diz Teixeira.
Em abril, os consumidores começaram a ganhar as chamadas ilimitadas para qualquer operadora no pós-pago da Claro. Depois, a TIM passou à frente e garantiu a mesma oferta para clientes do plano Controle. De fato, era difícil esperar que, ainda em 2017, uma operadora lançasse esse mesmo tipo de benefício no pré-pago, mas a Claro fez o lançamento em agosto deste ano.
Hoje, não só a Claro, mas Oi, TIM, Nextel, Algar Telecom e até mesmo a Vivo, com alguns planos pós-pago e o Vivo Easy, oferecem as chamadas ilimitadas. Resta esperar 2018 para ver o que mais de ilimitado as operadoras podem oferecer. Ou, se os dados ilimitados não passam de uma farsa atualmente, quando de fato eles se tornarão realidade.
LEIA TAMBÉM:

9 Comentários

  1. Moro em uma cidade do RJ que a Claro possui apenas cobertura 2G (GPRS), perdendo para as concorrentes Oi e TIM que já lançaram o 4G aqui.

    • Ambas possui parceria para usarem a mesma infraestrutura sendo chamado de ran sharing.

    • Sei sobre ran sharing. Todavia, na minha cidade, não foi pelo compartilhamento da infraestrutura. A tecnologia foi liberada através das torres próprias.

    • Será? Verifica pelo site da Anatel para confirmar essa informação. As duas empresas revezam o custo da infraestrutura em vários estados. Então elas compartilham a mesma infraestrutura. Vi um vídeo de um técnico falando sobre o 4g numa antena da TIM no YouTube e segundo ele é para reduzir custos.

  2. Não sei se a claro está tão acima das outra assim,esse negócio de 4g+ou 4g Plus é poucos aparelho que funciona ou seja não é pra todos só os mais caro. Se vai falar em alguns benefícios que seja pra todos.

  3. Isso de Carrier aggregation e mentira eles não usam CA em SP

  4. Tal tecnologia não é confirmada ser eficiente em países de primeiro mundo, quem dirá no Brasil ( pais da enganação) onde tudo é mais caro pelo pior serviço entregue, onde o telefone pre pago é mais caro que o pós, o brasileiro paga adiantando por um péssimo serviço e ainda mais caro, e se quiser usar tem de pagar de novo, todas as operadoras brasileiras mal entregam o que esta no contrato, e raro e o caso de entregar o 4G, quem dirá o 4,5G ( que não passa de um ponto G, ou ET de varginha) dizem que tem mas não há provas…. simplesmente não passa de mais uma propaganda enganosa, que o idiota do brasileiro acredita…

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*