domingo, 22 de maio de 2016

Campus Party Recife 2016 vai acontecer no final de julho, garante prefeitura

O que você achou? 
Governo de Pernambuco não vai dar aporte financeiro, mas aceitou ceder o Centro de Convenções para todos os dias da Campus Party Recife.

Uma virada de planos aconteceu no final desta semana. A quinta edição da Campus Party Recife, versão nordestina da Campus Party Brasil - um dos maiores eventos de tecnologia do mundo - foi confirmada, mesmo sem apoio financeiro do Governo de Pernambuco.

O Governo do Estado, no entanto, garantiu o aluguel do local do evento, o Centro de Convenções de Pernambuco, localizado na cidade de Olinda (região metropolitana do Recife), que custaria cerca de R$ 400 mil para todos os dias de realização da Campus.

Mais detalhes sobre o evento que será realizado em Recife neste ano serão divulgados somente em coletiva de imprensa marcada para o dia 6 de junho. É na coletiva que público e imprensa ficarão sabendo quem serão os patrocinadores, atrações, palestrantes convidados, preço dos ingressos e, claro, a confirmação do período de realização. É esperado que a feira de tecnologia aconteça no final do mês de julho, espaço que o Governo de PE cedeu no Centro de Convenções.


Um perfil não oficial da Telebras publicou uma mensagem no Twitter que foi retweetada (compartilhada) pela conta oficial do evento. Isso pode indicar que a estatal será a responsável por levar a estrutura de fibra com internet de altíssima velocidade para dentro da Campus Recife.


Luta pela realização da Campus Party na capital pernambucana

Desde o início do ano que os organizadores do evento estão em negociação com Governo de Pernambuco e Prefeitura da Cidade do Recife, mas nunca chegavam a um consenso. O governador Paulo Câmara alegou dificuldades financeiras diante da "grave crise econômica por que passa o Brasil".

Para piorar a situação, a Telefônica/Vivo, principal patrocinadora da Campus Party no Brasil desde 2008, decidiu encerrar o contrato neste ano. Na edição de São Paulo, por exemplo, a operadora foi substituída pelas empresas TIM e Telebrás.

O deputado estadual Edinho Silva, do PSOL, afirmou ter conseguido R$ 400 mil em emendas parlamentares para ajudar na realização da CP Recife, mas mesmo com a tentativa do deputado, o fundador da feira, Paco Ragageles, classificou como "impossível" que o evento pudesse acontecer ainda em 2016.


Que bom que agora temos mais uma prova de que nada é impossível!

Leia também:


Um comentário: