segunda-feira, 28 de março de 2016

Oi muda seu logotipo pela primeira vez e lança Oi Total para todo o Brasil

O que você achou? 
Bayard Gontijo, presidente da Oi, apresenta novo logo da operadora.
Bayard Gontijo apresentou novidades da Oi para jornalistas: mudança de marca e novo plano convergente marcaram o discurso.


Pela primeira vez na história, Bayard Gontijo, presidente da operadora de telecomunicações Oi, apresentou uma nova marca para a empresa durante coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, 28. Como a tendência de mercado hoje é acompanhar o mundo, que está em constante movimento, o tradicional logo amarelado dá lugar a novas cores e formatos, acompanhando o movimento e a fala das pessoas.

Segundo a operadora, a ideia de mudar o seu logotipo no mercado de varejo pela primeira vez, é poder associar a Oi como uma empresa que apresenta soluções de comunicação, e não apenas produtos. Ao invés de uma simples operadora de telecomunicações, a Oi diz querer ser vista como uma multiplicadora de conexões.

Variações da nova marca (logotipo) da Oi
Variações da marca Oi.

Em um ano difícil para a empresa como foi 2015 - em que a Oi terminou sua contabilidade anual com um prejuízo estimado em R$ 5,3 bilhões - a direção da empresa diz que 2016 marca o momento de voltar a "pisar no acelerador".


Lançamento do plano Oi Total

Depois de um período de testes em 13 estados brasileiros (ES, GO, MS, MT, AC, AM, RO, RR, TO, RN, SE, SC e CE), no qual conseguiu atrair um total de 130 mil usuários, a Oi anuncia também que vai expandir a oferta "Oi Total" para todo o Brasil, com exceção apenas do estado de São Paulo. O Oi Total representa a busca da operadora de convergir todos os seus produtos - fixo, móvel, internet banda larga e TV por assinatura - numa única fatura e com uma única instalação. A meta é bater 1 milhão de clientes até o final de 2016.


Mais do que prestar serviços de telecomunicações, a Oi também quer transmitir conteúdo. Por isso, a plataforma midiática "Oi Play" - que permite aos clientes ter acesso a filmes, documentários e programas de canais parceiros da Oi em qualquer lugar, por meio de tablet, smartphone ou notebook - será de extrema importância.

O projeto final do Oi Total se deu graças a uma pesquisa de mercado que a operadora promoveu durante um certo tempo com consumidores de várias empresas de telefonia, em cinco estados. Foram analisados pontos como: que serviços essas pessoas utilizam, quais meios de comunicação mais usam para se relacionar com os outros, como é a forma de interação com cada aparelho e em que momentos do dia mais costumam utilizar os serviços de telecomunicações, bem como o tempo que passam conectados a eles.

Além da pesquisa de observação de certos grupos de consumidores, a Oi promoveu ainda um questionário com mais de 3,2 mil pessoas para chegar a preços ideais para o plano e suas categorias. Esse mesmo tipo de questionário foi utilizado pela companhia brasileira para desenvolver os novos planos "Oi Livre" (pré-pago), "Oi Mais" (pós-pago), Oi Mais Controle e Oi Mais Empresas.


Bernardo Winik, diretor de varejo da Oi, diz que:

“Os resultados obtidos nos estados onde o piloto foi realizado são bem expressivos. No projeto piloto do Oi Total registramos um aumento de 20% nas vendas do serviço de TV por assinatura. Em alguns canais de venda, 40% dos clientes que adquiriram os planos Oi Total não tinham qualquer produto residencial da Oi antes [...] Estamos apostando no Oi Total para aumentar nossa penetração do mercado com a conquista de novos clientes e também para rentabilizar a base atual, com o aumento do número de serviços por usuário e incremento das ofertas. E consideramos os serviços de TV por assinatura e de banda larga âncoras dessa estratégia”.



Sobre São Paulo, Winik explica que até gostaria muito de entrar na casa dos paulistanos, "mas ainda há muito o que explorar no Brasil. Nesse momento não está no radar entrar em São Paulo. Não temos rede fixa lá, o que demandaria investimentos muito grandes".


Oferta de lançamento

A nova marca, bem como o plano Oi Total, será apresentado e lançado para o grande público em rede nacional no dia 30 de março.

A Oi TV, sem dúvidas, é o grande trunfo da operadora nos novos pacotes Oi Total. Além de já possuir a vantagem de ter a maior quantidade de canais em alta-definição (HD) num pacote de entrada de televisão fechada, sistema de gravação por pen-drive, locadora virtual (Oi Filmes) e serviço de streaming (Oi Play), a Oi também é a única empresa a transmitir o sinal da TV Globo em HD para mais de 2 mil municípios do país.

Pensando em enaltecer a Oi TV, quem assinar a categoria Intermediária ou Avançada do Oi Total Residencial ou Oi Total Solução Completa, terá acesso gratuito aos seis canais de filmes da Rede Telecine e 10 canais da HBO, durante três meses. Já clientes das categorias Avançado e Top receberão um gravador digital sem nenhum custo, enquanto o contrato estiver vigente.

Plano é totalmente montável

Tabela de valores do plano Oi Total

De acordo com a Oi, o novo produto chega a 4.436 municípios. Mas em 442 cidades brasileiras existe a vantagem de haver viabilidade para internet com até 35 Mbps de velocidade. Destas, 322 contam apenas com os serviços fixos da Oi. Isso mostra o poder de infraestrutura que a empresa tem, e agora diz querer utiliza-lo da melhor forma possível.

Uma vantagem do Oi Total é a possibilidade de o cliente montar o plano de acordo com as suas necessidades, possibilitando que consumidores de diferentes classes econômicas possam ter acesso a ele, democratizando o acesso desses clientes aos conteúdos digitais e de comunicação.

Aumentar a velocidade da internet, por exemplo, é fácil. Se quiser 20 Mega, paga mais R$ 10 na conta; se quiser 25 Mega (R$ 20); enquanto 35 Mega custa R$ 30 mais caro. Isso depende, é claro, da disponibilidade técnica do local em que deseja ter o plano instalado.

No telefone celular, 10 GB a mais de franquia custam R$ 40 adicionais no plano. Incluir dependentes no Oi Total tem o preço de R$ 21 por pessoa. E cada ponto adicional na Oi TV é tarifado em R$ 24,90.

Leia também:


3 comentários:

  1. Ah, então foi 1 dia e 1/2 sem velox ontem . Valeu Oi! kkkk

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito da Oi, mas não achei grande coisa. O pecado deles é continuar empurrando esse fixo ilimitado, como se as pessoas quisessem. A Oi precisa entender que o povo não usa mais telefone fixo. Estou aqui tentando montar um plano no site deles e, em todas as opções, eu seria obrigado a comprar o fixo ilimitado. E se eu apenas quiser celular + internet?

    Outro erro é valorizar demais a Oi TV. Deveriam investir mais em streamimg, todo mundo sabe que a própria TV a cabo esta com as pernas falhas e não irá se sustentar muito. Pelo menos não estão empurrando a OI TV, então tudo bem. Quem quiser, compre.

    Mas não vi vantagem nesse plano. Se eu for adquirir o plano mais popular deles, por R$ 189, terei fixo ilimitado (inútil), banda larga (10 MB, que comprado separadamente custaria apenas R$ 64,90) e míseros 250 minutos no pós pago (isso é menos de 9 minutos por dia).

    Prefiro ficar do jeito que estou, usando Velox de 10 MB por 64 reais, com o fixo no plano mais básico deles por 15 reais e pagando 20 reais por mês com ligações ilimitadas de oi para oi e internet. A conta fecha em R$ 90 e tenho praticamente todos os benefícios do plano Oi total mais popular.

    Não adianta, enquanto eles não entenderem o tipo de serviço que realmente gera demanda, continuarão nessa crise. E por própria culpa.

    ResponderExcluir
  3. Espero que a Oi nao va a falencia, pois tem uma divida alta, mas é a unica operadora de celular de muitas cidades do Norte e Nordeste, alem de ser a operadora mais pratica pro cliente.

    ResponderExcluir