domingo, 15 de novembro de 2015

TV Por Assinatura despenca em número de assinantes

O que você achou? 
Operadora SKY apresentou o pior desempenho durante o mês de setembro. Informações são da Anatel.



Os dados mais recentes do setor de televisão por assinatura brasileiro, referentes ao mês de setembro, foram divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Eles mostram um desempenho horrível de todas as principais operadoras de telecomunicações brasileiras. Até o grupo econômico Vivo/GVT, que estreou no banco de dados da agência reguladora como sendo uma só empresa, fez feio no nono mês do ano de 2015.

Para começar, precisamos falar da Sky. Recentemente adquirida pela gigante norte-americana AT&T, a operadora de TV com atuação no Brasil vai precisar sofrer uma reformulação se quiser continuar crescendo em nosso país. Sem força para competir com grandes conglomerados formados pela consolidação do setor de telecom brasileiro - como Vivo/GVT e Claro/NET -, a Sky começa a perder o interesse de pessoas que querem uma combinação de serviços, como combos que oferecem TV, internet, celular e telefone fixo a um preço mais competitivo. A queda da Sky da operadora só não é pior graças ao seu grande apelo publicitário. Os dados que apresentamos a seguir confirmam isto.

A Sky perdeu -69,5 mil assinantes durante setembro. Este número é quase o dobro do que perderam as empresas NET/Claro (-26 mil) e Oi (-10,2 mil) juntas.

Somente o Grupo Telefônica Brasil (Vivo/GVT) - e apenas graças ao acréscimo da base de clientes da GVT nos seus números, que fique claro - conseguiu apresentar crescimento positivo no período analisado. Ainda assim, foi um desempenho nada animador: apenas 712 novos usuários foram adicionados a base da companhia.

O mercado de TV Fechada do Brasil possui um grupo dominante: Telecom Americas (ou América Móvil), formado principalmente pela junção das empresas NET e Claro, que incorporou à Via Embratel. Somente este conjunto de empresas são responsáveis pela operação de 10,13 milhões de pontos de televisão paga. Este número representa 52,02% - mais da metade de participação de mercado.

A fatia de mercado da Sky também não é nada pequena. 5,53 milhões dos assinantes de TV do país são clientes da operadora. A participação da Sky no setor representa 28,43% da base geral.

A terceira maior companhia de TV paga brasileira agora é a Vivo (1,83 milhão), que ultrapassou a rival Oi (1,17 milhão) depois que abocanhou a estrutura da GVT. Vivo e Oi possuem atualmente 9,43% e 6,01% de participação de mercado, respectivamente.

Durante os últimos sete meses do ano (março à setembro), o número de assinaturas de TV no Brasil diminuiu -282,5 mil. Isso é explicado pela crise financeira que afeta o país, fazendo com que os consumidores evitem gastos adicionais no orçamento financeiro; e o advento de serviços de conteúdo por streaming, como a Netflix, que oferece milhões de títulos de filmes, séries, shows e documentários por menos de R$ 20 mensais.

No mais, temos um mercado de televisão fechada com 19,48 milhões de acessos.

De cada 100 domicílios brasileiros, 29,36 deles possuem pelo menos uma assinatura de televisão, segundo métricas de densidade demográfica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A maior penetração do serviço está na região Sudeste (41,52), seguida pela Sul (29,12), Centro-Oeste (27,33), Norte (16,88) e Nordeste (13,41).



Nenhum comentário:

Postar um comentário