30/05/2024

Meta deve ser investigada por políticas eleitorais; entenda

Empresas de tecnologia, incluindo a Meta, serão investigadas em relação as normas internas sobre eleições.

Com a aproximação das eleições da União Europeia, a Comissão Europeia está se preparando para lançar oficialmente uma investigação sobre as políticas eleitorais das grandes empresas de tecnologia, incluindo a Meta.

Esta ação foi motivada pela preocupação com a possível influência dessas empresas no processo eleitoral. Segundo informações divulgadas pelo The Guardian, a Comissão está agindo em resposta a pressões para garantir a integridade e transparência das eleições.

Espera-se que a abertura do caso seja anunciada publicamente ainda esta semana, marcando um passo significativo na regulamentação das atividades das big techs no cenário político europeu.

Autoridades da UE estão revisando as medidas da Meta contra a desinformação em suas plataformas antes das eleições de junho. Preocupações incluem publicidade enganosa e conteúdo político. O plano da empresa de desativar o CrowdTangle, ferramenta crucial para monitorar desinformação, está gerando apreensão. Grupos pressionam para manter o serviço até janeiro de 2025.

A Meta por sua vez anunciou em fevereiro a criação de uma equipe para combater desinformação e abuso de inteligência artificial generativa durante as eleições do Parlamento Europeu em junho. O objetivo é identificar e eliminar ameaças em tempo real, visando diminuir preocupações da UE.

A resolução da empresa pode não satisfazer as autoridades, que temem que a IA possa interferir em eleições globais, além das eleições da União Europeia em destaque. A Europa, historicamente atenta à segurança tecnológica, provavelmente manterá temas como o fim do CrowdTangle em sua agenda.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários