22/07/2024

Conselheiro da Anatel pede estudos específicos sobre Inteligência Artificial

Alexandre Freire, conselheiro da Anatel, solicitou algumas pesquisas para entender o uso da Inteligência Artificial.

Na última sexta-feira, dia 19/01, o conselheiro diretor Alexandre Freire enviou um documento oficial ao secretário do Comitê de Infraestrutura de Telecomunicações (C-INT), Nilo Pasquali. Nesse ofício, Freire solicita a realização de estudos específicos sobre como a Inteligência Artificial (IA) afeta o processamento de grandes volumes de dados nos data centers que compõem a infraestrutura de telecomunicações do Brasil. O foco principal desses estudos é entender o impacto da IA no consumo de energia durante esses processos.

IA

O conselheiro destaca que a execução desses estudos será fundamental para obter uma compreensão mais aprofundada das implicações da IA nos data centers. Essa compreensão, por sua vez, poderá contribuir para o desenvolvimento de estratégias que visam promover a eficiência energética e a sustentabilidade nesse contexto específico.

Vale ressaltar que essa iniciativa está em sintonia com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, em especial o ODS nº 7 – Energia Limpa e Acessível, que busca assegurar o acesso a fontes de energia confiáveis, sustentáveis e modernas para todos. Além disso, ela também está alinhada com o ODS nº 9 – Indústria, Inovação e Infraestrutura, que tem como meta construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável, e estimular a inovação.

Destacou-se a necessidade de nos estudos propostos, dar atenção especial à consideração de medidas que possam não apenas mitigar eventuais impactos adversos, mas também impulsionar a inovação e o avanço tecnológico de forma sustentável. Além disso, salientou que tais estudos fornecerão informações essenciais para subsidiar o Conselho Diretor da Anatel na análise da proposta do Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações (PERT) e do regulamento de simplificação de serviços de telecomunicações.

Também foi mencionado que, no contexto da proposta de modificação do Regulamento de Segurança Cibernética Aplicada ao Setor de Telecomunicações, aprovado pela Resolução nº 740 em 21 de dezembro de 2020, sobre a qual tem responsabilidade, foi conduzida uma diligência à Superintendência de Controle de Obrigações (SCO). O objetivo dessa diligência foi solicitar que a SCO elaborasse um estudo sobre a utilização de data centers e computação em nuvem pelas empresas prestadoras de serviços de telecomunicações. Em decorrência, esclareceu-se que há interação entre o C-INT e a SCO para evitar redundâncias nas ações.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários