21/02/2024

MCom quer levar banda larga fixa 5G para escolas públicas

Conselho Gestor do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) participa de projeto para estudar a viabilidade da ideia.

Durante o Digital Transformation Summit Brasil, ocorrido nesta terça-feira (15), o secretário de Telecomunicações do MCom, Maximiliano Martinhão, anunciou que o Conselho Gestor do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) – presidido pelo Ministério das Comunicações (MCom) – participa de projeto que estuda a viabilidade de uso da banda larga fixa 5G (5G FWA) em escolas públicas.

O uso dessa tecnologia nas instituições educacionais será avaliada através de um projeto-piloto com o MCom, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O secretário explicou que “A ideia do teste é avaliar um modelo de negócios com uso de 5G FWA: se funciona para conectividade como um todo, mas também do ponto de vista financeiro, seja em escolas e para o consumidor residencial ou empresarial“.

Na banda larga 5G, um roteador se conecta à internet pela rede 5G e distribui o sinal localmente por Wi-Fi. Em comparação a fibra óptica, a qualidade é nem parecida, mas os custos de instalação e investimento são menores.

O evento contou com representantes do setor público, especialistas, nomes do mercado e da indústria para discutir temas como inovação, transformação digital no Brasil, Inteligência Artificial, cidades inteligentes e 5G, entre outras temáticas, para usufruir ao máximo dos benefícios da transformação digital em curso.

Na ocasião, o Mcom foi representado por Maximiliano Martinhão, e destacou a importância da inovação brasileira no setor para que o país possa usufruir ao máximo dos benefícios da transformação digital em curso.

O secretário também participou da parceria envolvendo a ABDI e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), que trouxe para o Brasil o primeiro cão-robô: Spot. Ele foi produzido pela empresa Boston Dynamics e opera com conectividade 5G. A ideia é que o cão-robô seja apto a realizar inspeções em equipamentos de missão crítica, que estejam localizados em áreas consideradas perigosas, ou de difícil acesso.

Spot está na Itaipu Binacional, usina líder na geração de energia limpa e renovável, e seu uso, além de ser útil para a inspeção industrial, vai reduzir custos e evitar risco à vida humana em operações perigosas.

ViaMCom
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários