20/05/2024

Cade aprova consórcio de energia solar entre Vivo e Brookfield

Empresas poderão implantar e explorar conjuntamente quatro centrais de energia de matriz solar no município de Janaúba (MG).

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a criação do consórcio de energia solar entre o Grupo Telefônica, controlador da Vivo, e a Santo Afonso, empresa gestora de ativos da Brookfield. Juntas, as empresas poderão implantar e explorar quatro centrais geradoras de energia de matriz solar no município de Janaúba (MG).

O órgão antitruste publicou a decisão no Diário Oficial da União (DOU), nesta quinta-feira (06), mas a parceria entre a Vivo e a Santo Afonso foi selada em junho, onde a operadora poderá utilizar a energia gerada para suprir parcialmente necessidades próprias de consumo. A expectativa é que as quatro usinas gerem juntas 200 MW de potência outorgada, em volume que será compartilhado pela dupla.

Segundo a Superintendência-Geral (SG) do Cade, ao analisar a operação, “A implementação do consórcio Janaúba representa a entrada do Grupo Telefônica nos mercados de geração e comercialização de energia elétrica. “Logo, levando em conta que o propósito específico da implementação do consórcio é suprir a demanda de energia elétrica do grupo, a operação não se afigura preocupante, considerando a participação inferior a 10% em qualquer cenário considerado”.

“Ademais, as partes declaram que qualquer excedente proveniente da geração de energia das UFVs será comercializado – promovendo um incremento na oferta de energia elétrica neste mercado”, completou o órgão.

Entretanto, a parceria entre as empresas ainda passa por análise na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que precisa aprovar o negócio. A agência precisa analisar a transferência das outorgas das centrais em Janaúba para os consórcios a serem constituídos, segundo a SG do Cade.

Otimizar seu consumo energético é uma das estratégias da Vivo, que além de contribuir para a redução de emissão de CO2 na atmosfera, traz economia e integra as metas de consumo de energia 100% renovável da operadora de telecom.

Atualmente, há mais de 50 unidades de geração distribuída de energia no Brasil da empresa, desde fontes como solar, hídrica e biogás ao lado de diferentes parceiros, segundo reporta a Vivo.

Já a Santo Afonso desenvolve projetos de geração para a construção, arrendamento, gerenciamento, operação e manutenção de centrais geradoras de energia, além da produção e comercialização de energia.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários