29/02/2024

Mavenir quer produzir seus rádios 5G OpenRAN em território brasileiro

‘Esperamos fechar este ano um grande contrato com uma operadora green field no Brasil’, diz vice-presidente da empresa, Anderson André.

A Mavenir, uma empresa americana de software de telecomunicações, em parceria com a Jabil, fabricante com quem possui um acordo mundial, pretende produzir seus rádios 5G Standalone e OpenRAN no Brasil a partir de 2024. Os produtos seriam fabricados na unidade da Jabil, localizada em Manaus, aproveitando os benefícios fiscais oferecidos na Zona Franca.

O vice-presidente da Mavenir no Brasil, Anderson André, explica que além de atender o mercado brasileiro, a empresa também planeja exportar seus produtos para o restante da América Latina. “Esperamos fechar este ano um grande contrato com uma operadora green field no Brasil”, disse o executivo, sem revelar maiores detalhes sobre essa negociação.

Atualmente, a produção dos rádios 5G da empresa é realizada Jabil nos EUA e na Índia, cuja produção atende principalmente a demanda da Dish Network, sua maior cliente neste segmento por lá. Na Índia, a fabricação atende a Ásia e a Oceania. A operadora indiana Airtel é uma das clientes da Mavenir, por exemplo, e já instalou seus rádios OpenRAN em 7,5 mil sites de uma operação brown field.

Na Europa, a inglesa O2, do grupo Telefônica, receberá os rádios OpenRAN 5G da Mavenir. Ao todo serão 200 sites. Os primeiros 10 a 20 devem ser implementados este ano e o restante, em 2024.

Anderson André vê um crescente interesse desses equipamentos OpenRAN no mundo, e que a desagregação das redes de acesso em rádio representará uma revolução comparável à desconstrução das centrais telefônicas na década de 1990 com tecnologia IP.

“Agora estamos quebrando uma parte que era intocada (nas redes de telecom), que é a do rádio. Isso terá um impacto muito grande na receita dos vendors tradicionais. Entre 70% e 80% do Capex das redes móveis vai para a rede de acesso (RAN)”.

O OpenRAN vai permitir que as operadoras combinem equipamentos e softwares de diferentes fornecedores na arquitetura de suas redes, em vez de ficarem limitadas a um único vendor por região, explica.

Para nível de entendimento, o OpenRAN (Open Radio Access Networks) é um movimento que tenta democratizar partes da rede de telecomunicações, e assim não depender de grandes fabricantes de equipamentos de telecomunicações. O 5G é a porta de entrada para as múltiplas novas tecnologias que precisarão de uma conexão de alta velocidade, enquanto o Open-RAN é simplesmente a chave para democratizar esse acesso.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários