21/02/2024

Disney planeja lançar o canal ESPN como um serviço de streaming

Segundo fontes familiarizadas com o assunto, executivos discutem relançar o canal esportivo como um streaming independente; entenda.

Nos próximos anos, a ESPN pode ser relançada no mercado como um serviço streaming por assinatura, de acordo com fontes familiarizadas com o assunto ao jornal Valor Globo. Segundo as informações, há anos que os executivos do canal e de sua controladora, a Disney, vem discutido o assunto de um dia torná-lo um streaming independente.

A mudança é um movimento resultante da situação do mercado nos últimos anos, uma vez que os consumidores estão cada vez mais cortando a TV a cabo. Com isso, a empresa está se preparando ativamente para essa mudança em um projeto com o codinome interno “Flagship”, segundo as fontes. No entanto, não há um cronograma determinado para a mudança.

Entretanto, mesmo que seja lançada uma plataforma independente, a ESPN continuará como um canal de TV por assinatura. Entretanto, pode provocar um grande impacto nos provedores de TV a cabo, pois é o canal é um dos principais atrativos do pacote de TV paga. Dessa forma, além de pagar para ter a ESPN em sua grande, as empresas ainda terão que competir com o streaming.

De acordo com as fontes, o canal começou a garantir flexibilidade em seus acordos com provedores de TV a cabo para oferecer o canal diretamente aos consumidores, disseram as pessoas. Os termos não foram divulgados. A empresa também tem conversado com as ligas esportivas profissionais.

Em 2018, foi lançado o ESPN+, que conta com uma programação ao vivo que inclui eventos de golfe, alguns jogos da Liga Principal de Beisebol e hóquei profissional, bem como uma variedade de programação roteirizada e não roteirizada. Tem 25,3 milhões de assinantes. No entanto, não oferece acesso ao canal ESPN. Ou seja, o lançamento como uma plataforma de streaming, no projeto “Flagship”, é ajudar a ESPN a fazer a transição do canal completo para o streaming.

O diretor-presidente da Disney, Robert Iger, reiterou seu compromisso com um futuro focado no streaming ao voltar ao cargo no final de 2022.

“Estamos em um período de transição muito interessante, mas que acho que está inevitavelmente caminhando para o streaming”, disse ele no início do ano, acrescentando que a empresa “não vai abandonar plataformas lineares ou tradicionais enquanto elas ainda podem ser um benefício para nós e nossos acionistas.”

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários