26/02/2024

Brisanet pretende instalar uma antena 5G para cada 10 mil habitantes

José Roberto Nogueira, CEO da empresa, diz que o número é seis vezes superior ao que tem sido feito pelas grandes operadoras até o momento.

Durante a conferência de balanço financeiro do primeiro trimestre, nesta quinta-feira (11), o CEO da Brisanet, José Roberto Nogueira, reafirmou os planos de lançar seu serviço 5G em junho deste ano, e que será instalada uma antena da tecnologia para cada 10 mil pessoas, representando um número seis vezes superior ao que tem sido feito pelas grandes teles até o momento.

“Cada ERB nossa foi planejada para atender um grupo de 10 mil habitantes. As operadoras nacionais implantam para cada 100 mil por obrigação do edital, mas colocaram mais, deve ter ficado em 60 mil habitantes em média”, comentou.

Agora, o destino da maior parte dos investimentos previstos pela empresa para 2023 será o 5G, que inicialmente será lançado em “duas ou três” cidades próximas à sede, mas será ampliada para um total de 40 municípios no Rio Grande do Norte e região do centro-sul do Ceará, além da capital Fortaleza. Este mercado, falou ele, corresponde hoje a 800 mil acessos móveis.

No primeiro trimestre deste ano, a empresa investiu R$ 35 milhões na implantação do 5G, valor que deve chegar a R$ 350 milhões até o fim de dezembro. Com a Huawei como fornecedora, a Brisanet realizou compra do equipamento ao longo do ano passado.

Tem cidade que terá uma, duas ou 30 ERBs. Estamos implementando não só em cidade pequena, porque é justamente a amostra de chegar maduro no segmento“, explica o CEO da Brisanet, José Roberto Nogueira, citando que a capilaridade dependerá da população.

Nogueira afirmou que entrará no mercado com vantagens competitivas em relação às grandes operadoras, oferecendo cobertura atraente em localidades em que as grandes teles não se fazem presentes, além de usar equipamentos mais modernos, sem necessidade de conciliar redes legadas com equipamentos de nova geração. “Isso reduz custos de manutenção”, ressaltou, o que ajudará nos cálculos dos preços que pretende cobrar.

O executivo também falou que a cobertura da operadora não será apenas no 5G, mas também considera o 4G para ampliar a base entre os usuários que usam smartphones mais antigos, até porque, ainda é uma esmagadora maioria no país.

“Subimos parte da frequência em 4G e parte em 5G, porque próximo de 80% dos celulares existentes no mercado ‘fala’ com nossa rede em LTE, mas com alta performance porque é o mesmo hardware do 5G”, coloca. “Inclusive nossa operação é a única standalone pura – quem tem celular novo, já fala com a rede. Quem tem antigo, é NSA.”

A Brisanet arrematou lotes regionais de espectro de 2,3 GHz e 3,5 GHz no leilão do 5G realizado em 2021 pela Anatel, com isso, poderá ofertar serviços móveis 4G e 5G.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários