22/05/2024

Ericsson teve queda nos lucros e prevê 2023 difícil

Companhia de tecnologia, a Ericsson anunciou o relatório financeiro do primeiro trimestre de 2023 e relevou dados preocupantes.

A Ericsson teve queda no lucro nesse primeiro trimestre de 2023 e faz a previsão de um ano instável. Nesta terça-feira, 18, a companhia apresentou os resultados financeiros.

Ericsson relatório financeiro

Durante o período de janeiro a março, a empresa sueca alcançou um lucro líquido de 1,6 bilhões de coroas suecas (cerca de US$ 160 milhões), indicando uma queda de 46% em relação ao mesmo período de 2022, quando obteve um lucro de 2,9 bilhões de coroas suecas (US$ 280 milhões).

Em contrapartida, a receita líquida atingiu 62,6 bilhões de coroas suecas (US$ 6,07 bilhões), demonstrando um aumento de 14% em relação ao primeiro trimestre de 2022, que registrou uma receita líquida de 55,1 bilhões de coroas suecas (US$ 5,34 bilhões).

No primeiro trimestre de 2023, a Ericsson obteve destaque na sua divisão corporativa, que teve um avanço de 275% na receita, passando de 1,6 bilhões de coroas suecas (US$ 160 milhões) no mesmo período de 2022 para 6 bilhões de coroas suecas (US$ 580 bilhões). 

Já a divisão de serviços e software em nuvem registrou um crescimento de 11%, totalizando 13,4 bilhões de coroas suecas (US$ 1,3 bilhão) em comparação aos 12,1 bilhões (US$ 1,17 bilhão) do mesmo período do ano anterior. A receita do negócio de redes avançou 4%, alcançando 42,5 bilhões de coroas suecas (US$ 4,12 bilhões) em relação ao primeiro trimestre de 2022, que teve um faturamento de 40,7 bilhões de coroas suecas (US$ 3,95 bilhões).

Nas divisões por continentes, a receita teve grande queda em parte da Ásia e na América do Norte

Por região geográfica, a Ericsson apresentou um avanço de 138% nos negócios da região do Sudeste Asiático, Oceania e Índia, totalizando 13,9 bilhões de coroas suecas (US$ 1,35 bilhão) impulsionados pelo ganho de participação de mercado 5G na Índia. 

No entanto, em outras partes do mundo, houve queda na receita: Nordeste da Ásia (-20%), América do Norte (-18%), Europa e América Latina (-7%) e Oriente Médio e África (-3%).

“Continuamos a ver um ambiente instável durante 2023”, afirma Börje Ekholm, presidente e CEO da Ericsson.

Para 2024 a visão é um pouco melhor 

A fabricante de equipamentos e soluções de telecomunicações tem uma perspectiva mais positiva para o futuro, sugerindo uma possível recuperação do mercado de redes móveis em 2024. O executivo afirmou que a estratégia está produzindo resultados e a empresa está animada para aproveitar completamente o valor do 5G

Eles estão transformando-se em uma empresa de plataforma com o objetivo de criar uma Ericsson mais forte e rentável, com um mercado endereçável maior.

“Nossa estratégia está valendo a pena e estamos entusiasmados com nossa posição de capitalizar o valor total do 5G. Estamos conduzindo nossa transformação para uma empresa de plataforma com foco na criação de uma Ericsson mais forte e mais rentável com um mercado endereçável maior”, disse o CEO.

Em fevereiro deste ano, a Ericsson anunciou a demissão de 8.500 funcionários em todo o mundo.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários