22/02/2024

Para cortar dívidas, Telecom Italia precisa vender ativos, segundo Labriola

Administração da primeira-ministra Giorgia Meloni iniciará as negociações para identificar ‘as melhores opções favoráveis ao mercado’.

Nesta quarta-feira (14), Pietro Labriola, presidente-executivo da Telecom Italia (Grupo TIM), falou sobre o momento que tem passado a empresa italiana, afirmando que é necessário fazer a venda de ativos para reduzir a dívida da companhia. O pronunciamento do CEO vem semanas depois da suspensão da proposta de compra da rede de telefonia fixa do banco estatal Cassa Depositi e Prestiti (CDP).

O propósito do negócio era criar uma empresa da rede italiana unificada combinado a unidade de banda larga Open Fiber do CDP, que seria parte central do plano estratégico de Labriola para dividir a Telecom Italia em várias unidade, e assim conseguir reduzir a dívida da empresa, que atualmente está em 25 bilhões de euros.

“Não podemos resolver o problema da dívida da Telecom Italia organicamente, precisamos vender ativos”, disse Labriola durante uma conferência do setor em Roma.

Começa nesta quinta-feira (15), a administração da primeira-ministra Giorgia Meloni iniciará as negociações com os principais investidores do Grupo TIM, Vivendi e CDP, para identificar “as melhores opções favoráveis ao mercado” para a Telecom Italia. É plano do governo italiano manter controle da rede da empresa, que é considerado um ativo de importância estratégica, para criar um player de banda larga somente no atacado, conforme conta o subsecretário de gabinete Alessio Butti no evento.

Devido a pressão sobre a sua estratégia, Pietro Labriola tem sondado investidores interessados nos ativos da empresa, em particular o fundo norte-americano KKR. Mas ao mesmo tempo, se prepara para receber o resultado das negociações dentro do governo, segundo fontes da Reuters na semana passada.

De acordo com fontes, a KKR tem conversado com oficiais do governo italiano sobre o plano, que prevê um veículo incluindo o CDP ou outra entidade estatal. Nessa possível negociação, o fundo estadunidense compraria uma participação de 51% na rede de acesso da Telecom Italia. Também há informação de que a empresa se reuniu com representantes da Global Infrastructure Partners sobre um possível investimento na rede fixa.

ViaMSN
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários