20/06/2024

Baterias removíveis de volta? União Europeia propõe essa mudança

Que tal essa novidade? A ideia é que essas baterias removíveis voltassem com umas nova roupagem, diferente do que há hoje.

As baterias removíveis podem voltar para os celulares, segundo uma proposta da União Europeia. A ideia é obrigar as marcas a fazerem uma mudança nos aparelhos e com isso torná-los mais sustentáveis

Baterias removíveis

A proposta também leva em conta outros detalhes como o uso da bateria, ciclo de vida, materiais de fabricação, formas de descarte e outros pontos relevantes. 

E assim, as marcas teriam de se adaptar a uma política de devida diligência, quando levasse em conta aspectos ambientais e sociais envolvidos na fabricação das baterias, incluindo os riscos que há nelas. 

Dessa maneira, o material da construção das baterias seria revisto, principalmente dos módulos de energia. Os componentes seriam 85% de chumbo, 16% de cobalto, 6% de lítio e mais 6% de níquel.

Novo formato das baterias removíveis deve ser vantajoso para os clientes

A previsão é que os consumidores também tenham vantagens com essas mudanças. As baterias devem ter informações mais claras sobre a forma que são fabricadas e compostas através de um QR Code, além de outras soluções semelhantes. 

Dados como capacidade da bateria, performance, durabilidade e composição química estariam acessíveis para os usuários. 

Essa mudança não afetaria apenas os celulares, mas também peças usadas em carros e em outros equipamentos maiores. Porém, para valer, é necessário uma aprovação do Parlamento e do Conselho. E então as marcas terão três anos para se adaptarem à mudança.

De que maneira isso pode afetar o Brasil?

Ainda é tudo muito prematuro na União Europeia, porém, é de se lembrar o caso da universalização dos carregadores de celulares e outros dispositivos eletrônicos. 

Começou na Europa há alguns anos e hoje já está próximo da adaptação das empresas. E por aqui há diálogos sobre assunto através da Anatel, não há nenhum fato sobre o assunto, mas é difícil que se torne realidade. Mas, para o momento, resta acompanhar os desdobramentos dessa pauta.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários