Funttel aprova aporte de R$ 453,8 mi em crédito para setor de telecom

O investimento da Funttel é destinado às empresas que pretendem aprimorar a infraestrutura de redes móveis e Internet das Coisas (IoT).

Na última quarta-feira (6), o Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel) deferiu a aplicação de R$ 453,8 milhões em operações de crédito para empresas do setor de telecomunicações, medida cujo objetivo é estimular os aportes das empresas na infraestruturas de antenas, bases de radiofrequência e outros equipamentos fundamentais para o funcionamento da telefonia móvel no Brasil.

dinheiro-real

O dinheiro aprovado está incluso no Plano de Aplicação de Recursos (PAR) da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), aplicando o total de R$ 93,8 milhões ainda este ano e mais  R$ 180 milhões em 2023 e 2024.

O Ministério das Comunicações (MCom) não revelou detalhes sobre os requisitos que as empresas cumprir para se enquadrar no financiamento, porém afirma que o incentivo é destinado às companhias que visam “projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação, à aquisição de máquinas, equipamentos, bens de informática e automação, e a soluções tecnológicas voltadas para infraestrutura de rede e de novos produtos, processos e serviços potencializados pela tecnologia 5G“.

Outros investimentos

Além do montante milionário em operações de crédito aprovado pela Finep, o Conselho Gestor do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), também autorizou uma resolução que autoriza a aplicação de até R$ 750 milhões, entre 2022 e 2024, no setor de inovação em telecomunicações.

Em síntese, o financiamento vem do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS) com aplicação em “ampliação da capacidade produtiva para bens e serviços, a aquisição, comercialização e exportação de equipamentos com tecnologia desenvolvida no Brasil e a aquisição, comercialização e exportação de soluções de Internet das Coisas”.

De acordo com o MCom, também foi estabelecido pelo Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust), os objetivos estratégicos previstos até 2027, focando em levar internet em banda larga para escolas públicas e a expansão da cobertura dos serviços de telefonia móvel no país, com tecnologia 4G ou superior.

Lucas Ribeiro
Lucas Ribeiro
Jornalista há quatro anos, trabalho com revisão de textos e elaboração de pautas sobre telefonia móvel/telecomunicações no geral. Como lema, compartilho a ideia de Álvaro Borba, que diz: “Não importa o que eu acho, importa o que eu sei, e o que sei são os fatos”.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x