Oi reverte prejuízo e registra lucro de R$ 1,87 bi no 1T22

Segundo balanço da companhia, a receita líquida teve queda de 0,9% em um ano, registrando total de R$ 4,41 bilhões entre janeiro e março.

Após vários adiamentos, finalmente, nesta terça-feira (28), a Oi divulgou seus resultados financeiros referente ao primeiro trimestre de 2022, onde reportou um lucro líquido de R$ 1,87 bilhões entre janeiro e março, revertendo prejuízo de R$ 3,03 bilhões registrado no mesmo período do ano passado.

A receita líquida consolidada totalizou R$ 4,41 milhões, apresentando uma redução de 3,4% em relação ao mesmo período de 2021 e 0,9% em comparação ao primeiro trimestre de 2020. Já as operações que serão continuadas no Brasil tiveram um recuo de 4,8% na comparação anual, indo para R$ 2,45 bilhões, enquanto que descontinuada crescerá 6,2% em um ano, para R$ 1,92 bilhões.

O EBITDA consolidado de rotina da Oi totalizou R$ 1,25 milhões no primeiro trimestre deste ano, representando um crescimento de 9,9% na comparação do mesmo período do ano passado e redução de 22,3% em relação ao quarto trimestre de 2021.

No período analisado, o resultado operacional da Oi antes do resultado financeiro e dos tributos (EBIT) foi positivo em R$ 273 milhões, em comparação ao resultado negativo de R$ 227 milhões do 4T2121 e ao resultado de R$ 1,19 milhões do 1T21. No trimestre, a Companhia registrou resultado financeiro líquido positivo de R$ 1.874 milhões e uma despesa de Imposto de Renda e Contribuição Social no valor de R$ 363 milhões.

Houve a contabilização de receita de R$ 2,35 bilhões no resultado cambial líquido, resultado da valorização de 15,1% do real frente ao dólar no entre janeiro e março de 2022, segundo a empresa.

Os custos e despesas operadoras (Opex) totalizaram R$ 3,16 milhões no primeiro trimestre de 2022, representando uma queda de 4,6% na comparação anual. De acordo com a Oi, o resultado reflete parte do plano estratégico, onde houve redução de custos, como menores pagamentos de pessoal e serviços de terceiros. As despesas com pessoal totalizaram R$ 517 milhões no 1T22, uma redução de 7,3% na comparação trimestral e de 10,9% contra o 4T21.

O investimento (Capex) da Companhia totalizou R$ 363 milhões, sendo que R$ 345 milhões na chamada Nova Oi, enquanto as operações internacionais responderam por um investimento da ordem de R$ 18 milhões.

Resultados comerciais

A receita líquida no segmento Residencial totalizou R$ 1,28 milhões no 1T21, um crescimento de 2,1% na comparação sequencial e redução de 1,8% no comparativo anual, sendo que as receitas ligadas aos serviço de Fibra encerra o período com R$ 851 milhões, contabilizando em marco 3,5 milhões de clientes de fibra.

Na banda larga de cobre, a Companhia registrou 920 mil UGRs, uma queda de 17,3% no trimestre e redução de 50,8% na comparação anual. Já no segmento corporativo (B2B), no primeiro trimestre de 2021, a receita líquida da operação continuou totalizando R$ 820 milhões, uma baixa de 6,8% na comparação anual.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore. E-mail para contato: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x