01/07/2022

Fazenda no Piauí é a primeira a instalar antena do 5G

A fazenda Ipê, na cidade de Baixa Grande do Ribeiro, no Piauí, é a primeira a contar com o 5G no campo em parceria com a TIM.

Amplamente presente em países desenvolvidos, a quinta geração de redes móveis caminha vagarosamente no Brasil e deve demorar até chegar em municípios mais afastados, localidades que ainda sofrem para se conectarem a frequência 4G.

Apesar da limitação de acesso no campo, a fazenda Ipê, localizada no interior do Piauí, foi a primeira a contar com uma antena de 5G para oferecer aos moradores da região acesso a essa tecnologia ainda em desenvolvimento no país.

Segundo informações do Estadão, o equipamento foi instalado na propriedade rural em parceria com a TIM, operadora que na semana passada revelou estar pronta para disponibilizar o 5G nas capitais, incluindo o Distrito Federal.

No caso do agronegócio, a nova frequência deve ser especialmente útil para o avanço nos meios de produção que dependem de conexão à Internet, alcançando tanto maquinários agrícolas quanto projetos que utilizam Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).

Com isso, estima-se um crescimento significativo na produção de soja, milho, cevada e outros grãos, neste caso em torno de 20%. O uso da internet para gerenciamento da produção não é uma novidade no campo, mas a chegada do 5G deve expandir o horizonte de possibilidades dos fazendeiros no segmento de automação.

Falta de conectividade no campo

Embora o futuro prometa grandes avanços para o agronegócio, é sabido que em cidades do interior — especialmente nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste — ainda há dificuldade no acesso à rede móvel nas chamadas “zonas de sombra”, área em que o sinal das operadoras sofre interferência ou simplesmente não chega.

Essa limitação restringe o leque de recursos tecnológicos que podem ser adaptados para uso no meio agro. No entanto, a instalação de antenas 5G conforme o cronograma estipulado no edital da Anatel deve contribuir positivamente tanto para levar internet de qualidade aos produtores rurais quanto a população mais afastada.

Lucas Ribeiro
Lucas Ribeiro
Jornalista há quatro anos, trabalho com revisão de textos e elaboração de pautas sobre telefonia móvel/telecomunicações no geral. Como lema, compartilho a ideia de Álvaro Borba, que diz: “Não importa o que eu acho, importa o que eu sei, e o que sei são os fatos”.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x