06/07/2022

Google libera alertas de ataques aéreos para usuários de Android na Ucrânia

Função foi criada após pedido do governo ucraniano.

Na última quinta-feira (10), o Google anunciou que liberou para usuários de Android na Ucrânia um recurso que emite alertas de ataques aéreos. A função foi criada após pedido do governo ucraniano e ajudará as pessoas no país a se protegerem dos ataques da Rússia.

Brasil é um dos países que mais usam celular pré-pago
Foto: Reprodução Internet

Na Ucrânia, o governo já emite alertas nas televisões e nas próprias cidades, como um alarme. O novo alerta do Google chega como um complemento para a população. As notificações no Android se basearão nas ferramentas oficiais, usadas por milhões de ucranianos desde a invasão russa ao país.

LEIA TAMBÉM:

–> Apple, Google e Microsoft fabricam os produtos mais difíceis de consertar, segundo pesquisa

–> Vivo e Google fazem parceria para facilitar o uso de tecnologias digitais na educação

–> Após sanções, Apple Pay e Google Pay param de funcionar na Rússia

De acordo com o Google, a funcionalidade de alertas para ataques aéreos deverá chegar a todos os usuários na Ucrânia nos próximos dias. Além disso, a empresa informou que tirou do ar na Europa os aplicativos do canal de TV Russia Today (RT) e do portal Sputnik, financiados pelo governo russo. Os dois veículos também foram tirados de resultados de buscas na União Europeia.

Facebook e Instagram limitam alcance das contas estatais da Rússia

No início de março, a Meta (antiga Facebook) adotou medidas para conter a influência dos veículos de comunicação pertencentes ao governo da Rússia. A empresa informou que rebaixou as contas da mídia estatal russa, assim como o conteúdo com links para seus sites.

Dessa forma, serão reduzidas o alcance de publicações feitas pelas páginas de todas as mídias estatais russas no Facebook e no Instagram no mundo inteiro.

“Posso confirmar que estamos rebaixando o conteúdo de páginas do Facebook e contas do Instagram de meios de comunicação controlados pelo Estado russo, e estamos tornando-os mais difíceis de encontrar em nossas plataformas”, disse Nick Clegg, presidente de assuntos globais da Meta, em comunicado.

Assim como está sendo feito no Twitter, o Meta já identifica e rotula as contas que são operadas pela mídia estatal russa. As etapas adicionais anunciadas na terça-feira envolvem a rotulagem dos links e a classificação dos links e das próprias contas dos meios de comunicação russos.

Carolina Veneroso
Carolina Veneroso
Jornalista, formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua como repórter, redatora e com produção de conteúdo há 5 anos. Apaixonada por entrevistar e conhecer pessoas e novas histórias.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x