InícioEconomia e NegóciosApple fecha suas lojas de Nova York devido ao avanço da Ômicron

Apple fecha suas lojas de Nova York devido ao avanço da Ômicron

Aumento dos casos da nova cepa do coronavírus tem provocado preocupação, afetando empresas como Apple, nos EUA e Samsung, na China.

Assim como vem acontecendo com algumas fábricas localizadas na China devido aos novos casos da variante Ômicron, as 12 lojas da Apple localizadas em Nova York também estão sendo fechadas momentaneamente. De acordo com a Reuters, a decisão foi motivada pelo aumento de casos que tem alcançado e deixado os Estados Unidos em alerta.

A empresa já tinha fechado três lojas, sendo uma delas no Canadá, também pelo aumento de casos de Covid-19, mas entre os seus funcionários, fazendo que a companhia voltasse a exigir o uso de máscaras aos clientes. Embora as lojas físicas estejam fechadas, os consumidores poderão continuar adquirindo os produtos da empresa por meio da internet, segundo a Apple.

Importante relatar que devido ao avanço dos casos da nova cepa do coronavírus também ocasionou a empresa adotar protocolos sanitários mais rígidos, como manter o trabalho remoto, adiando a volta aos escritórios. Com a nova onda, é possível que a ação também seja seguida por outras empresas.

Samsung fecha fábrica de chips

Localizada na região de Xian, na China, a fábrica de chips da Samsung também teve que ter suas atividades suspensas devido a nova onda de casos associados à variante Ômicron do Sars-CoV-2.


LEIA TAMBÉM:

–> Samsung paralisa fábrica de chips na China por causa da Ômicron

–> Apple pode remover entrada de chip físico em seus iPhones

–> Google e Apple estão na mira de órgão regulador de concorrência no Reino Unido

“Devido à situação atual da covid-19, decidimos ajustar temporariamente as operações em nossas instalações de manufatura em Xian, na China. A decisão foi tomada em consonância com o nosso compromisso de proteger a saúde e a segurança dos nossos colaboradores e parceiros, que continua a ser a nossa principal prioridade”, informou a empresa por meio de comunicado.

A Micron, fabricante de chips também localizada na mesma região, afirmou que devido às restrições do governo chinês, sua produção também poderá ser afetada, atrasando o fornecimento de chips de memória DRAM. “Estamos explorando nossa cadeia de suprimentos global, incluindo parceiros subcontratados, para ajudar a atender nossos clientes”, declarou a Micron.

Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários