21/02/2024

Anatel discute tecnologia que pode barrar fraude em ligações

STIR SHAKEN se trata de duas tecnologias que juntas podem vasculhar origens de chamadas e identificar quem está por trás da ligação; entenda.

Em evento virtual promovido nesta quinta-feira (16) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), representantes de algumas das principais empresas de telecomunicações do país e especialista do setor discutiram a aplicação da STIR SHAKEN, uma tecnologia que permite que na redes de suporte para serviços de telefonia seja verificada a autenticidade da identidade da chamada.

Em outras palavras, com a STIR SHAKEN é possível barrar chamadas de telefone fraudulentas, prática chamada de spoofing, onde criminosos se passam por porta-vozes de empresas, como as operadoras e até bancos.

No evento que teve a participação de Carlos Pinto, diretor comercial da Cleartech e conselheiro da Telebrasil; Cláudio Trigueiro, gerente sênior e especialista em planejamento de redes da Tim Celular; e Daniel Fuchs, diretor de inovação da Arquia Datora e conselheiro da Labcom foram debatidos a experiência da tecnologia em outros países que adotaram a tecnologia, além dos principais desafios para aplicá-la.

A tecnologia STIR SHAKEN já está presente em outros países, como os Estados Unidos, onde consiste em dois componentes de alto nível: um processo técnico de autenticação e verificação das informações de identificação de ligações e um processo de governança de certificado que mantém a confiança nas informações autenticação de identificador da chamada na terminação do tráfego.

LEIA TAMBÉM:

–> Anatel pretende mandar teles reconfigurarem equipamentos de usuários

–> Anatel cria código para consumidor identificar ligações de telemarketing

–> Anatel determina que fabricantes de smartphones ativem rádio FM em aparelhos compatíveis

Entenda a STIR SHAKEN

A palavra STIR vem do termo Secure Telephony Identity Revisited (identidade segura de telefonia revisitada, em tradução simples). O que a tecnologia faz é identificar o chamador em diversos pontos da ligação, desde o início da chamada até o momento que a pessoa desliga. Com isso, se a ligação for transferida para uma outra linha de fraudes será possível identificar quem está por trás da ligação.

A Shaken tem o propósito parecido com a STIR, mas é realizada para chamadas que usam linha telefônica. Dessa forma, a pessoa que liga é identificada por meio de token de segurança. Ao juntar as duas tecnologias, a operadora poderá identificar se o chamador tem autorização para usar aquele número que está fazendo a ligação.

Se a ideia de implementar essas tecnologias no Brasil for para frente, as operadoras Claro, Vivo, TIM e Oi teriam que adotar STIR SHAKEN em maior parte de suas ligações, sendo possível que seja contido o aumento e a ação de golpes por telefone.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários