Netflix aumenta valor das assinaturas; plano premium ultrapassa R$ 50

Assinantes não esperavam, mas a plataforma confirmou o reajuste nas suas mensalidades; confira o argumento apresentado aos consumidores.

Imagem: Divulgação Netflix (Captura de Tela do site oficial)
Imagem: Divulgação Netflix (Captura de Tela do site oficial)

Bomba? Após muitas especulações, a Netflix anunciou que suas assinaturas sofrerão um reajuste a partir desta quinta-feira, 22 de julho. Para quem utiliza o plano Premium da plataforma, o valor ficará acima dos R$ 50.

O plano básico, que oferece apenas uma tela para os assinantes, vai passar de R$ 21,90 para R$ 25,90. Quem utiliza o padrão, com duas telas e Full HD disponível, verá sua mensalidade aumentar de R$ 32,90 para R$ 39,90.

Já o tão badalado plano premium, que oferece quatro telas e qualidade 4K nas reproduções, será comercializado por R$ 55,90. O valor praticado anteriormente era de R$ 45,90.

Nos últimos dias, a empresa conhecida por ser a ‘pioneira do streaming’ abriu seus resultados financeiros. O Brasil foi um país divulgado como um grande ‘agregador’ no crescimento da companhia, já que somou mais assinantes para o montante.

VEJA TAMBÉM:

–> Netflix perde mais assinantes; o que aconteceu com a ‘gigante’?

–> Desde 2014, preço da Netflix no Brasil aumentou 95%

–> Concorrência já promove mudanças na Netflix

Entretanto, mercados como Estados Unidos e Canadá, que representam os maiores da empresa, tiveram uma evasão de quase meio milhão de assinantes. É um alerta para a marca? Aparentemente não.

A própria Netflix entende que seu crescimento no ano passado foi ‘fora do comum’, em função do isolamento social promovido para conter a pandemia da COVID-19. Muitos recorreram ao serviço como um grande meio de entretenimento em prol de suas permanências no lar.

Mas, atualmente, a empresa começou a ‘perder’ os assinantes que ganhou de forma tão veloz durante o momento pandêmico. Isso fez com que os executivos levassem previsões de ganho abaixo do esperado para os investidores.

No entanto, voltando ao tópico “Brasil”, a empresa argumenta que a qualidade dos seus serviços, assim como a pluralidade de seu catálogo, são elementos chave para justificar o reajuste dos valores.

De fato, a concorrência utiliza a estratégia do baixo preço para conquistar assinantes, mas ainda não possui a infraestrutura tecnológica para streaming que a Netflix tem.

“Acreditamos que as pessoas tenham mais escolhas do que nunca e estamos comprometidos com a entrega de uma experiência ainda melhor para nossos assinantes”, comunicou a Netflix para o site Omelete.

Com informações de Omelete

About Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários