InícioEconomia e Negócios'Não vamos abaixar preços para atrair mais clientes', diz CEO da Vivo

‘Não vamos abaixar preços para atrair mais clientes’, diz CEO da Vivo

Executivo criticou a política das operadoras rivais na oferta de dados e de serviços gratuitos.

'Não vamos abaixar preços para atrair mais clientes', diz CEO da Vivo

Nesta quarta-feira, 28 de julho, durante teleconferência de apresentação de resultados financeiros do segundo trimestre, o CEO da Vivo (VIVT3), Christian Gebara, afirmou que não pretende reduzir preços de planos para atrair clientes. A afirmação foi dita após o executivo ser perguntado se a operadora pretendia oferecer descontos em serviços de fibra ou móveis, diante da concorrência no setor de telecom.

Gebara ressaltou que os preços no pré-pago, híbrido (Vivo Easy) e pós-pago não são os menores e que a Vivo não oferece muita coisa gratuita, diferentemente do que fazem as operadoras rivais. “A gente espera que o mercado seja racional, que não fique disponibilizando muitos dados [franquia de internet] para o segmento errado”, criticou.

Ele disse que está confiante no pré-pago, que, segundo ele, está atraindo muitos novos clientes e que vai continuar a migrar esses usuários do pré para o híbrido, e do híbrido para o pós. Para garantir essa migração, Gebara explica que é preciso escolher o volume de dados correto, para o plano certo, de acordo com a realidade do consumidor.

Além disso, a Vivo busca associar o serviço móvel pós-pago com a oferta de banda larga por fibra, assim como outros serviços digitais. A empresa também confia na recuperação da economia no pós-pandemia.

VEJA TAMBÉM:

–> Vivo oferece bônus de internet na recarga via Pix

–> Vivo oferece 3 meses grátis na assinatura do Tidal e Spotify Premium

–> Proposta de reforma tributária pode derrubar lucros da Vivo e da TIM

“Estou bastante confiante com essa nossa capacidade de continuar atraindo bons clientes para a Vivo. Repito, não vamos abaixar preços para atrair mais clientes”, disse o CEO da Vivo.

O executivo lembrou que recentemente a Vivo aumentou o preço dos planos móveis para consumidor, no pós-pago (a maior fonte de receitas no segmento). Ele disse que o impacto desse reajuste será refletido nos resultados do terceiro trimestre (julho a setembro deste ano).

No segundo trimestre deste ano, a receita líquida do serviço móvel pós-pago foi de R$ 5,2 bilhões, crescimento de 2,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já o pré-pago somou R$ 1,2 bilhões, alta de 8,0%.

Em junho, a Vivo tinha 81,0 milhões de clientes, tendo 33,0% de participação de mercado. No pós são 47,1 milhões de acessos e no pré 33,9 milhões de usuários.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
CONTEUDO RELACIONADO

11 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
11 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários

MAIS POPULARES