InícioProjetos SociaisCaixas de telefonia ganham cores e personagens nas mãos de artista plástico

Caixas de telefonia ganham cores e personagens nas mãos de artista plástico

Intervenção urbana busca atrair olhares das pessoas para locais que antes eram despercebidos.

Caixas de telefonia ganham cores e personagens nas mãos de artista plástico
Imagem: Instragram/Reprodução

A partir do projeto “Gentileza Urbana”, o artista plástico Manoel Quitério está transformando caixas telefônicas em obras de arte nas ruas de Recife, no estado de Pernambuco.

A ideia do artista é levar mais cores para a cidade pernambucana, atraindo olhares dos recifenses para locais que antes eram despercebidos.

Ao todo, o projeto envolveu 20 caixas de telefonia pela cidade, a partir do uso de tintas e spray.

Entre as referências de Quitério está a cultura afro-brasileira, a natureza e a diversidade. Ele afirma que muitas das inspirações saem das próprias pessoas que ele vê pelas ruas.


VEJA TAMBÉM:

–> Vivo amplia apoio à arte promovendo a cultura e os artistas negros

–> Ação da SKY leva a série The Handmaid’s Tale para Beco do Batman

–> Vivo convida visitantes a olharem além da tela do celular na SP-Arte

O artista explica que o projeto nasceu do sonho de pintar sem pressa, sem medo de repressão e deixando o carinho pela obra falar mais alto que a pressão pelo resultado.

Em uma das intervenções, no Parque da Jaqueira, na Zona Norte do Recife, por exemplo, um dos painéis demorou cerca de 1h30 para finalizar a arte.

Manoel afirma que se emociona ao perceber que a arte de rua vai saindo da ilegalidade e parte rumo ao reconhecimento.

“A gente traz ideias a fim de colaborar com o artista. Às vezes, a ideia parte do artista, às vezes a gente no trabalho de curadoria vai escolhendo quem tem o perfil artístico que pode se incorporar a determinado local”, disse o artista plástico ao G1.

“A ideia é criar uma trilha afetiva pelo Recife, para que as pessoas possam andar e possam lembrar do carinho pela cidade, se alegrar, ter motivos para estar na rua conscientemente. A proposta é fazer as pessoas se sentirem à vontade na cidade, a cidade às vezes é vista como um lugar corrido, menos acolhedor, e a ideia é mudar essa percepção através da arte”, finalizou.

Com informações de G1.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários