InícioTelefonia CelularTIM retira patrocínio de canal após fala homofóbica em telejornal

TIM retira patrocínio de canal após fala homofóbica em telejornal

Apresentador chamou homossexuais de ‘raça desgraçada’.

Imagem: YouTube/Reprodução

A operadora TIM encerrou o acordo comercial que mantinha com a RedeTV! e a TV A Crítica, após o apresentador do telejornal policial “Alerta Nacional”, Sikêra Jr., chamar homossexuais de “raça desgraçada”.

O caso ocorreu na última sexta-feira, 25 de junho, quando o apresentador comentava um novo comercial no Burger King (vídeo abaixo), em que crianças e adolescentes explicam que é normal ver homens e mulheres do mesmo sexo juntos.

Neste mês de junho é comemorado o Dia Internacional do Orgulho LGBT+.

“Vocês são nojentos. A gente está calado, engolindo essa raça desgraçada, mas vai chegar um momento que vamos ter que fazer um barulho maior”, afirmou Sikêra.

VEJA TAMBÉM:

–> Especial da Globo vai abordar diversidade e luta contra homofobia

–> TIM anuncia teclado para celular que combate a homofobia

–> Vivo lança projeto de capacitação para colaboradores trans


A TIM afirmou que suspendeu a veiculação de anúncios nos dois canais (que fazem parte do mesmo grupo de mídia), alegando que o programa de Sikêra Jr. dissemina discurso de ódio e fake news.

“Desde a semana passada, realizamos a suspensão da veiculação, que é automática pela plataforma de anúncio, nesse canal. Reforçamos que a TIM não está ligada a movimentos, nem compactua com disseminação de notícias falsas e discurso de ódio”, afirmou a TIM.

Vale lembrar que a TIM se tornou signatária Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+, na última quinta-feira, 24 de junho, além de promover programas internos de igualdade, inclusão e diversidade.

A operadora de telefonia não foi a única a encerrar o patrocínio com as emissoras.

Na lista está a construtora MRV, que pertence a Rubens Menin, proprietário do canal CNN Brasil, e que fazia o anúncio de empreendimentos no telejornal.

Também cortaram os investimentos a Hapvida, empresa de planos de saúde que opera nas regiões Norte e Nordeste.

Já o Magazine Luiza bloqueou a veiculação automática de anúncios no perfil no YouTube no qual eram publicados os vídeos do programa Alerta Nacional.

Outros patrocinadores dos canais estão sendo contatados pela Aliança Nacional LGBTQI+ para assegurar que o telejornal não continue sendo palco para “difamação e pânico moral”.

“Este senhor é recorrente em suas mentiras, ataques e agressividades. Entraremos na Justiça. LGBTfobia é crime, sim”, afirmou Eliseu Neto, coordenador da aliança.

Com informações de Notícias da TV.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

16 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
16 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários