Vivo lança projeto de capacitação para colaboradores trans

Operadora busca estimular a diversidade e o empoderamento pessoal no ambiente de trabalho.

Vivo lança projeto de capacitação para colaboradores trans
Bandeira do orgulho trans. Imagem: Pixabay

A operadora Vivo acaba de anunciar o lançamento de um novo projeto de capacitação profissional para colaboradores trans da operadora, o “Vivo Transforma”.

A iniciativa de diversidade e empoderamento pessoal visa gerar oportunidades de crescimento, além do desenvolvimento pessoal e profissional.

O Vivo Transforma foi criado em parceria com a Alicerce, uma startup do portfólio da Wayra, um hub de inovação aberta da operadora.

Com o programa, os profissionais poderão desenvolver habilidades de empoderamento, autoconfiança, autoestima, postura positiva, além de outras competências necessárias dentro da Vivo e no mercado de trabalho.

VEJA TAMBÉM:

–> Vivo divulga iniciativas para colaboradoras que são recém-mães

–> Vivo coloca executivos da empresa para atender consumidores

–> Vivo irá doar R$ 150 mil para instituição de apoio a mulheres grávidas

A ideia é que a capacitação tenha duração de 6 meses, com os colaboradores utilizando 1h30 do dia para desenvolver as habilidades para a vida, trabalho e educação digital.

O programa da Vivo inclui soluções de áudio e vídeo, edições de imagens, ferramentas de redes sociais, entre outros.

Inicialmente, oito dos 25 profissionais trans da empresa vão participar da iniciativa.

A Vivo afirma que a ação assegura a cultura inclusiva da operadora, além de criar um ambiente de trabalho mais diverso e representativo, em linha com a política de ESG (Ambiental, Social e Governança Corporativa, na sigla em inglês).

“Temos um DNA forte e inclusivo e buscamos sempre estimular uma cultura com mais pluralidade, representatividade e inovação na companhia. Entendemos que os profissionais trans são fundamentais para fomentar essa troca de experiências. Apoiamos a comunidade LGBTI+ como um todo e temos compromisso com mais oportunidades, mais representatividade e direitos iguais a todas, todos e todes”, afirma Niva Ribeiro, vice-presidente de pessoas da Vivo.

A operadora lembra que foi a primeira do setor de telecomunicações a participar do “Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+” e a aderir aos “Padrões de Conduta para Empresas”, com o objetivo de diminuir a discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, pessoas trans e intersexo.

Com informações de Assessoria de Imprensa Vivo.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários