InícioTV por AssinaturaReceita Federal confisca mais 40 mil aparelhos do tipo TV box pirata

Receita Federal confisca mais 40 mil aparelhos do tipo TV box pirata

Nova apreensão dos dispositivos ilegais tem valor estimado em R$ 16 milhões.

Receita Federal confisca mais 40 mil aparelhos do tipo TV box pirata

A notícia tem se tornado cada vez mais comum. A Receita Federal do Brasil, em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), apreendeu uma nova carga de TV Box piratas, dessa vez no Porto de Santos.

A apreensão ocorreu na última terça-feira, 22 de junho, e inclui cerca de 40 mil aparelhos adulterados.

A carga foi avaliada em R$ 16 milhões pelos órgãos de fiscalização.

A ação foi motivada após a Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho (Direp) da Receita Federal suspeitarem de uma carga que era identificada como modems de rede.


VEJA TAMBÉM:

–> IPTV: ABTA lança mais uma campanha contra a pirataria da TV Paga

–> Pirataria da TV paga custa R$ 9 bilhões

–> Apple exclui aplicativo pirata de TV disfarçado de jogo

Entretanto, quando fiscais da Anatel abriram o contêiner se depararam com as TV Boxes piratas.

As TV Boxes, também chamadas de caixinhas, são aparelhos que sofrem modificações para transmitir o sinal pirata de canais fechados, por meio da internet.

Segundo a Anatel, além do risco de ter dados pessoais roubados por meio do produto, o consumidor que compra esse tipo de item ilegal corre o risco de ser responsabilizado por contrabando e violação de direitos autorais.

Somente no primeiro semestre deste ano, cerca de 1,5 milhão de equipamentos piratas foram retirados do mercado, por meio do Plano de Ação de Combate à Pirataria (PACP).

A apreensão da nova carga ocorreu um dia antes da Anatel anunciar que criou um grupo de trabalho (chamado de “GT TV Box”), com o objetivo de investigar o funcionamento dessas caixinhas ilegais.

A intenção da agência reguladora é identificar recursos que criam brechas nas redes Wi-Fi dos usuários para roubar dados pessoais.

Além disso, a Anatel suspeita que os aparelhos são utilizados para minerar criptomoedas sem o consentimento dos usuários.

Com informações de Anatel.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários