Anatel dá sinal verde para Claro criar nova empresa de infraestrutura

Operação prevê cisão de ativos e tem o objetivo de garantir maior eficiência operacional e financeira para a operadora.

Anatel dá sinal verde para Claro criar nova empresa de torres de telefonia

O Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações concedeu anuência prévia para que a América Móvil (que controla as operações da Claro no Brasil) possa criar uma nova empresa de infraestrutura, chamada por enquanto de NewCo.

Enquanto as rivais Oi (OIBR3/OIBR4), TIM (TIMS3) e Vivo (VIVT3) estão criando novos negócios de fibra, a Claro pretende criar uma nova empresa de torres de telefonia móvel.

Inicialmente, a Claro pretende incorporar parte dos ativos de torres da subsidiária Americel, o que deve aumentar em R$ 23,5 milhões o capital da operadora.

O valor pode sofrer alteração por conta de depreciação dos ativos.

VEJA TAMBÉM:

–> Dona da Claro anuncia criação de nova empresa de infraestrutura

–> Nextel está com 156 torres sem licenciamento em SP

–> Cade aprova compartilhamento de antenas entre Vivo e Claro

Em seguida, a companhia pretende promover uma cisão da Claro, criando a nova empresa de infraestrutura passiva.

A nova unidade vai reunir ativos de torres da Claro, além do acervo recebido da Americel.

A operação não prevê a troca no comando societário da NewCo e nem a transferência de bens reversíveis.

A concretização só deverá ser realizada após a conclusão da reestruturação interna na operação móvel da Claro, por conta da incorporação da Nextel.

Este processo sofreu atrasos por conta da pandemia da Covid-19.

A expectativa da América Móvil é que a nova empresa seja criada ainda neste ano.

O processo foi protocolado em dezembro do ano passado e a aprovação da Anatel saiu na última quinta-feira, 17 de junho, com decisão unânime dos conselheiros, sob relatoria de Moisés Moreira.

A agência reguladora entendeu que não havia riscos à prestação de serviços pela Claro.

De acordo com a Claro, a NewCo não deverá prestar serviços de telecomunicações, sendo explorada a infraestrutura de forma passiva pela operadora.

A ideia é que a transação visa garantir maior eficiência operacional e financeira para o Grupo Claro.

Em abril, Daniel Hajj, CEO da operadora, afirmou em abril passado que ainda não havia definição de qual bolsa a nova empresa de torres será listada.

A Americel foi comprada pela Claro em 2003, e atuava nos estados do Acre, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins, por meio da tecnologia móvel TDMA.

Com informações de Telesíntese e Teletime.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários