Disney ainda pode encerrar canais da TV por assinatura no Brasil

Planejamento da empresa em levar entretenimento de forma direta para o consumidor ainda é considerado; foco atual segue no Disney+.

Conteúdo do Disney Channel
Imagem: Divulgação site Disney Channel

Em 2020, perto da estreia do Disney+ no Brasil, muitos começaram a acreditar que a Disney poderia fechar seus canais na TV por assinatura.

Afinal, a empresa tomou essa iniciativa em diversos países e com o Brasil poderia ser semelhante. Mas, a suspeita até o momento não se provou verdadeira.

Pelo contrário, a identidade dos canais FOX, por exemplo, foi renovada para STAR e todas as atrações seguem na TV por assinatura.

Mas, a mudança ainda não está descartada. De acordo com Bob Chapek, CEO da gigante de Hollywood, a Disney vai fechar 100 canais de TV no mundo inteiro.

VEJA TAMBÉM:

–> Disney, Apple e Amazon podem disputar compra da Warner no futuro

–> Conheça o possível catálogo do STAR+, novo streaming da Disney

–> PlayPlus perde canais da Disney

É um movimento que configura a mais simples estratégia de focar tudo no Disney+. Não ter nenhuma espécie de desvio, que possa impedir o consumidor de fazer uma assinatura no streaming.

Para o executivo, a grande maioria do conteúdo desses canais migra para o VOD.

É uma estratégia considerada como central, à medida que a empresa continua a seguir o modelo DTC, levar o conteúdo diretamente ao consumidor.

Na TV por assinatura, o conteúdo é entregue pelos parceiros comerciais. Aqui no Brasil temos DirecTV Go, SKY, Claro e outras.

Apesar de ter um bom desempenho, agora desacelerado, a Disney segue agressiva com suas estratégias. A empresa, assim como vários estúdios de Hollywood, foi gravemente afetada pela pandemia.

Com o aumento dos casos de coronavírus durante os últimos meses, a gigante foi obrigada a fechar seus parques temáticos, isso sem falar nos cinemas.

Filmes de orçamentos astronômicos foram impedidos de estrear, devido a impossibilidade de aglomeração nas redes.

Muitos seguem aguardando uma ‘melhora’ do cenário para que não tenham uma bilheteria tão desastrosa, devido a capacidade reduzida das salas de cinema.

Aqui pelo Brasil, a partir de 31 de agosto, a empresa terá duas plataformas de streaming em comercialização: Disney+ e STAR+.

A segunda surge para preencher a lacuna de conteúdos adultos não contemplados na plataforma ‘mãe’.

Os canais que serão ‘fechados’ serão escolhidos de forma estratégica, com base em resultados.

Com informações de Notícias da TV

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários