Facebook pode ser processado por comprar WhatsApp e Instagram

Autoridades questionam práticas anticompetitivas da rede social e acesso indiscriminado de dados de usuários.

De acordo com fontes, o Facebook deverá ser alvo de uma ação antitruste no início do próximo mês de dezembro, acusado de praticar atos anticompetitivos.

A ação será movida em conjunto por 40 procuradores-gerais dos EUA e busca questionar a compra do WhatsApp e Instagram pela companhia de Mark Zuckerberg.


Desde setembro passado, existe um movimento questionando a conduta da empresa para com as outras plataformas, impedindo uma competitividade saudável.

As autoridades alegam que as duas aquisições suprimiram a concorrência e aumentaram o monopólio no mercado de redes sociais. Além disso, permitiu que o Facebook lidasse com uma quantidade de dados de usuários de maneira indiscriminada.

VIU ISSO?

–> Facebook vai começar a cobrar pelo WhatsApp

–> Integração entre WhatsApp e Messenger está à caminho

–> WhatsApp, Messenger e Instagram correm o risco de sair do ar

“Com o serviço de mensagens de texto WhatsApp, em particular, o Facebook prometeu aos usuários que preservaria a independência do aplicativo e manteria proteções fortes de privacidade quando fosse comprado em 2014. Fez o mesmo compromisso com os reguladores, que deram sinal verde para o negócio. Mas o Facebook reverteu esse caminho anos depois e procurou integrar os dados de seus usuários com outros serviços – um movimento polêmico que levantou novas preocupações devido aos percalços de privacidade anteriores da gigante de tecnologia”, diz uma reportagem do Washington Post.

O WhatsApp foi comprado pelo Facebook por US$ 19 bilhões em 2014 e o Instagram por US$ 1 bilhão em 2012. As duas operações são consideradas como as maiores aquisições da empresa de Zuckerberg.

Com informações de Gizmodo.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários