AT&T dá mais um passo com a rede 5G

Operadora norte-americana segue com investimentos para difundir sua rede de quinta geração para uso público.

Imagem publicitária usada em campanha pela AT&T
Imagem: Divulgação AT&T

Mesmo com os avanços comerciais para levar o 5G para o consumidor, a AT&T também trabalha para difundir sua rede de quinta geração ao uso público. O novo passo da empresa foi adicionar a conectividade na rede de segurança pública, criada logo após os atentados do “11 de setembro”, para ser a “base de comunicação” nos primeiros socorros.

Ano passado, no período em que os serviços de emergência precisaram responder a incêndios florestais, furacões e todas as complicações em torno da COVID-19, atendentes consumiram mais que o dobro da média de dados móveis utilizadas pelos consumidores, durante a pandemia.

Com isso, surgiu a necessidade de atender a demanda que é cada vez mais crescente e necessitada de uma boa velocidade de rede. Para isso, a AT&T promove uma atualização e incluiu a conexão 5G+ na rede de segurança pública projetada nos EUA.

Ao todo, 38 cidades e mais de 20 localidades poderão fazer o uso das altas velocidades registradas pelo 5G para atender chamados de emergência. Houston, no Texas, foi a primeira a contar com o recurso. As outras vão receber ao longo de abril.

VIU ISSO?

–> Aeroportos começam a ganhar redes 5G

–> AT&T emplaca streaming e banda larga de 1 Gbps com estratégia

–> Bomba derruba serviços da AT&T nos EUA

Em meio a teorias da conspiração, é relevante que o 5G tenha se tornado um aliado no combate aos conflitos e consequências diretas da pandemia, que ainda assola o mundo inteiro, apesar dos projetos de vacinação em prática.

Com a rede da AT&T, os primeiros socorristas ainda vão atender e receber chamadas pela LTE (Rede de celular com velocidade de até 100 Mbps), mas poderá haver uma mudança automática para o 5G+ se for identificada uma necessidade de obter uma maior conexão para compreensão do caso ou uso de recursos.

A operadora explica que é uma forma dos serviços de emergência conseguirem velocidades mais rápidas de conexão, sem sacrificar conexões de voz estáveis via 4G/LTE.

No comparativo com o 5G liberado para usuários comuns, a rede de segurança personalizada para os serviços de emergência será protegida com criptografia de torre a núcleo, o que significa uma segurança extra em todo o processo de comunicação, desde a torre, até passar pelo backhaul e chegar ao núcleo.

Com informações de Engadget

About Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários