InícioEconomia e NegóciosInfraCo: Oi renova acordo de exclusividade com o BTG Pactual

InfraCo: Oi renova acordo de exclusividade com o BTG Pactual

Prorrogação mantém prioridade nas negociações e a possibilidade de cobrir ofertas de outras empresas interessadas no negócio.

A Oi (OIBR3/OIBR4) renovou por mais 30 dias o acordo de exclusividade que havia sido celebrado com o Grupo BTG, para a venda da empresa de fibra da operadora, a InfraCo.

O acordo foi originalmente firmado em 4 de fevereiro de 2021, com a Globenet Cabos Submarinos S.A., BTG Pactual Economia Real Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, além de outros fundos geridos ou controlados pelo BTG.


Agora, o prazo de exclusividade será mantido até 05 de abril de 2021.

Nesse tipo de acordo (“stalking horse”, no jargão do mercado), o Grupo BTG passa a ter prioridade nas negociações, incluindo a possibilidade de fazer uma oferta melhor do que outras empresas concorrentes.

VIU ISSO?

–> Ações das operadoras despencam na Bolsa de Valores em fevereiro

–> TIM pretende desligar torres recebidas da Oi

–> Oi Fibra atinge marca de 500 mil clientes na Região Sul

Entretanto, é preciso que determinadas condições sejam satisfatoriamente cumpridas.

“O Acordo visa garantir segurança e celeridade às tratativas em curso entre as partes e permitir que, os termos e condições, bem como os documentos e anexos relativos à oferta vinculante para aquisição parcial da UPI InfraCo (a “Oferta”) possam continuar a ser negociados”, diz o comunicado da Oi ao mercado.

Além do BTG Pactual, a Highline do Brasil também tem interesse nos ativos de fibra da Oi.

A venda estratégica da InfraCo faz parte do novo plano de aditamento ao Plano de Recuperação Judicial da Oi.

A ideia é que os ativos de fibra da operadora sejam segregados e que a participação majoritária da nova empresa seja vendida.

O negócio visa criar uma empresa de fibra aberta e neutra, para reduzir custos e aumentar a oferta dos serviços de banda larga fixa no país.

No mês passado, a Oi emitiu R$ 2,5 bilhões em debêntures conversíveis em ações, com o objetivo de levantar capital e investir na InfraCo.

Além da Oi, a TIM, com a FiberCo, e a Vivo, com a Fibrasil, também pretendem lançar as suas próprias empresas de fibra.

Com informações de Relações com Investidores Oi.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários