Vivo doou R$ 300 mil em equipamentos médicos para o Amazonas

Estado enfrenta colapso no sistema de saúde diante da explosão de casos de Covid-19.

Vivo doou equipamentos médicos para que Amazonas enfrente a crise na saúde pública.
Imagem: Força Área Brasileira/Reprodução

Diante da emergência de saúde no Amazonas, a Fundação Telefônica Vivo anunciou que doou R$ 300 mil para a compra de equipamentos médicos para o estado enfrentar a crise.

Inicialmente, a fundação tinha doado R$ 150 mil reais para o Amazonas. No entanto, se os colaboradores da Vivo completassem missões sociais por meio do “Game do Bem” – uma plataforma gamificada de voluntariado digital -, a empresa dobraria a doação.

Na última quarta-feira, 3 de fevereiro, os funcionários completaram 2000 missões, que consistiam, principalmente, em compartilhar nas redes sociais as ações realizadas pela instituição.

Os colaboradores também podiam engajar familiares e amigos na ação.

VIU ISSO?

–> Vivo doa mais de R$ 16 milhões para combater a Covid-19

–> Vivo doa R$ 1 milhão para projeto que beneficia 20 mil crianças

–> Projeto de ‘usinas solares’ da Vivo avança

Como a meta foi alcançada, a Vivo adicionou mais R$ 150 mil reais à primeira doação, totalizando os R$ 300 mil reais.

A ONG Expedicionários da Saúde será a responsável por comprar os equipamentos e fazer a logística de distribuição nas cidades e hospitais.

Além desta doação, a Vivo disponibilizou ao longo de 2020 R$ 36,6 milhões para 12 estados enfrentarem a pandemia do novo coronavírus.

Somente para o Amazonas foram doados R$ 3 milhões para a compra de respiradores, EPIs, equipamentos médicos hospitalares, além de alimentos para famílias afetadas pela pandemia.

“É um orgulho imenso ver o engajamento dos nossos colaboradores nesta ação. As mais de 2200 ações concluídas permitiram que ainda mais pessoas tivessem conhecimento do que está sendo feito na região e o impacto deste valor adicional na doação, sem dúvida, vai fazer muita diferença na vida dos amazonenses beneficiados”, explica Americo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo.

Crise no Amazonas

Até o último domingo, 7, mais de 9 mil pessoas morreram no Amazonas por conta da Covid-19.

Segundo o governo, 94,65% dos leitos de UTI para casos de Covid estão ocupados, sendo que 456 pacientes aguardam na fila de espera por um leito na rede hospitalar, sendo 119 para UTI.

Com informações de Assessoria de Imprensa Vivo e G1.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários