Vivo doa mais de R$ 16 milhões para combater a Covid-19

Investimento será direcionado para iniciativas nas áreas de saúde e segurança alimentar.

A Vivo, por meio da Fundação Telefônica Vivo, pretende doar R$ 16,3 milhões em iniciativas que buscam combater os efeitos da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

A companhia deverá investir R$ 13 milhões na compra de insumos e equipamentos para hospitais e mais R$ 3,3 milhões para alimentar famílias em vulnerabilidade social e com crianças que estão sem a merenda escolar.


As doações para a saúde terão intermediação da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz). Já o valor para a segurança alimentar terá a gestão das organizações Comunitas e Gerando Falcões.

A ação deverá beneficiar estados brasileiros de quatro regiões do país. São eles Acre, Amapá e Amazonas (Norte); Bahia e Pernambuco (Nordeste); Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro (Sudeste); e Rio Grande do Sul (Sul).

“Neste momento da pandemia, o foco está nas pessoas e sabemos que o nosso papel pode ir além de manter tudo e todos conectados. Queremos que nossas iniciativas no campo da saúde e da segurança alimentar se somem aos programas já existentes para o combate à Covid-19, pois todos os colaboradores da Vivo estão solidários com o Brasil nesse momento”, diz Christian Gebara, presidente da Vivo.

Além da doação, a Vivo tem promovido uma série de medidas durante o período pandêmico, como a formação de continuada de educadores e alunos.

VIU ISSO?

–> TIM quer mais mulheres em áreas tecnológicas

–> COVID-19: Algar Telecom transforma uniformes em máscaras

–> Perfil da Vivo no Twitter também adota máscara de proteção

A empresa também tem estimulado que seus colaboradores pratiquem o voluntariado digital, por meio do “Game do Bem”, no qual eles acumulam pontos e resgatam prêmios que são convertidos em doações em dinheiro para instituições que já são apoiadas pela Fundação Telefônica Vivo.

Além disso, a Vivo também está oferecendo, de forma gratuita, conectividade para o primeiro hospital de campanha do Rio de Janeiro, no bairro do Leblon, construído pela Rede D’Or. O hospital conta com 200 leitos voltados para pacientes do SUS infectados com o novo coronavírus.

Com informações de Assessoria de Imprensa Vivo.

COMPARTILHAR EM:

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários