‘Não entramos em guerra de preços’, diz Surf Telecom

Em entrevista exclusiva, diretor de inovação tecnológica comenta sobre o mercado de MVNOs e as expectativas da empresa para o ano de 2021.

Davi Fraga, CTIO da Surf Telecom. Crédito: Surf/Divulgação

Nos últimos anos, o processo de digitalização das empresas e a disponibilidade de sofisticadas plataformas em nuvem tem facilitado para que diversas marcas entrem no concorrido mercado da telefonia móvel.

E é nesse setor altamente competitivo que aparece, como um dos principais players, a Surf Telecom, uma espécie de “fábrica de operadoras móveis virtuais”, as conhecidas MVNOs.

Em entrevista exclusiva para o Minha Operadora, Davi Fraga, diretor de inovação tecnológica da Surf, afirma que as MVNOs têm o potencial de atender seus clientes de forma customizada, o que, segundo ele, as grandes operadoras não fazem.

Como uma habilitadora de rede virtual móvel (MVNE, na sigla em inglês), a Surf Telecom é responsável por oferecer toda a parte técnica, regulatória e de TI, apoiando seus parceiros para chegar ao mercado consumidor.

VIU ISSO?

–> Surf Telecom adquire mais de 132 mil clientes pré-pago em outubro

–> Surf Pay quer pagar 3 meses do seu plano móvel

–> Surf Telecom lança MVNO e banda larga sem fio em Paraisópolis

São esses parceiros, as MVNOs, que são responsáveis pelo marketing, venda e distribuição dos planos de telefonia para os clientes.

Segundo Davi, a Surf Telecom já possui contratos que englobam mais de 106 marcas, podendo atender diferentes nichos de mercado. 

Inclusive, a MVNE acaba de anunciar uma parceria com o Uber, com o objetivo de oferecer conectividade aos mais de 1 milhão de motoristas e parceiros do Uber.

“Acreditamos muito no potencial dos nossos parceiros, e com a soma do esforço de cada um deles, estamos atingindo os nossos objetivos”, afirmou o executivo.

Sobre os preços praticados pelas MVNOs, Fraga afirma que a Surf Telecom não entra na guerra de preços, e que os planos ofertados são simples e fáceis de entender, “sem pegadinhas” ou “asteriscos”.

Após um incidente em julho do ano passado, que afetou os serviços móveis oferecidos pelas MVNOs parcerias, a Surf Telecom diz que adotou uma nova plataforma, mais robusta e segura, a fim de que falhas como aquelas não mais voltassem a ocorrer.

“Nossa prioridade sempre foi a continuidade na prestação de serviço aos nossos clientes”, afirma Fraga.

Em 2021, a empresa espera desenvolver todos seus parceiros e dobrar o faturamento.

Exemplos de times de futebol que utilizam a estrutura da Surf Telecom. Crédito: Surf/Divulgação

Confira abaixo a entrevista exclusiva com Davi Fraga, CTIO da Surf Telecom.

Segundo dados da Anatel, a Surf Telecom alcançou em novembro do ano passado a marca de 591,7 mil clientes, um crescimento de 91% em relação a novembro de 2019. Além disso, a empresa tem recebido nos últimos anos mais linhas portadas (426 mil) do que doado para outras operadoras (91 mil). Ao que você atribui esses números? 

A Surf desenvolve produtos para a classe menos favorecida, e com benefícios claros para o cliente, sem pegadinhas nem asteriscos. O cliente tradicional está sempre buscando uma alternativa que seja mais adequada para as suas necessidades, e a Surf entendeu os anseios dos seus clientes e desenhou produtos simples e fáceis de entender. Hoje, é a única operadora que oferece Internet sem cortes no pré-pago. Além disso, nos preocupamos em dar um atendimento diferenciado aos nossos clientes, com um alto índice de satisfação dos nossos clientes. Também contamos com a presença de nossos parceiros nas mais diversas localidades, o que faz com que tenhamos clientes hoje em mais de 5 mil municípios de todo o Brasil.

Em julho do ano passado, a Surf Telecom enfrentou um problema com a provedora Plintron, o que acabou provocando uma instabilidade na rede móvel das MVNOs parcerias, falha de acesso em sistemas e problemas de atendimento aos usuários. De lá para cá, o que a Surf Telecom fez para evitar que esses mesmos problemas voltassem a ocorrer? 

Desenvolvemos uma plataforma completamente nova, com muito mais robustez e segurança, e hoje temos um serviço muito mais flexível do que tínhamos antes do incidente. Além disso, temos uma plataforma de Disaster Recovery desde o início de 2020, o que permitiu que, mesmo com o incidente, pudéssemos recuperar os serviços aos nossos clientes em menos de 24 horas. Nossa prioridade sempre foi a continuidade na prestação de serviço aos nossos clientes.

É muito comum os usuários reclamarem que os preços praticados pelas MVNOs no Brasil são mais caros do que os oferecidos pelas grandes operadoras. Você concorda com isso?

No caso da Surf, não entramos em guerra de preços, temos uma oferta bem equilibrada em relação ao mercado, e diferenciamos a nossa oferta criando benefícios cruzados junto aos nossos parceiros, ou seja, toda vez que o cliente se relaciona com a marca do nosso parceiro, recebe de volta benefícios em telecom.

Existe um interesse por parte da Surf Telecom em oferecer mais planos do tipo controle ou pós-pago

Sim, e inclusive já são oferecidos planos controle em alguns de nossos parceiros. Temos uma plataforma flexível, que permite a oferta de pré-pago, pós-pago e controle.

Equipe da Surf Telecom. Crédito: Surf/Reprodução

Quais metas a Surf Telecom pretende alcançar neste ano de 2021? 

Temos contratos que englobam mais de 106 marcas, e um potencial de atingir diferentes nichos de mercado, seja no varejo, futebol, mercado financeiro ou provedores de internet. Nossa meta esse ano é desenvolver todos esses parceiros, e dobrar nosso faturamento.

Quais são as suas expectativas para o mercado de operadoras virtuais nos próximos anos? 

É um mercado de diferentes nichos, que podem atender de uma forma customizada, algo que as grandes operadoras não fazem, tratando o mercado de forma massiva. O mercado de MVNO deve se consolidar, e nos orgulhamos de ser a empresa líder em número de MVNOs nas américas.

O que representa para a Surf Telecom a chegada do 5G no Brasil?

O 5G trará muito mais velocidade no uso de dados, e o consumidor poderá acessar conteúdos de forma muito mais rápida, além disso, também permitirá diversas novas tecnologias de Internet das Coisas, veremos crescer um grande número de dispositivos conectados, como carros autônomos, telemedicina, entre outras soluções que só são possíveis com baixíssima latência.

Perfil

Davi Fraga, CTIO da Surf Telecom, com vasta experiência de Telecomunicações, tendo passado por empresas de telecom (Vivo, Movicel Angola) e de serviços financeiros (Cielo, Credicard, Itaú).

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários