Crescimento do Globoplay pode gerar mudança na Netflix

Grupo Globo não é visto como ameaça para a ‘gigante do streaming’, mas pode servir de referência; entenda.

Imagem: Interface Netflix – Série brasileira

A Netflix segue a todo vapor com a produção de séries brasileiras, mas um fato paira sobre a mente dos executivos: nenhuma conquistou o almejado sucesso global.

O sucesso mais expressivo é distopia 3%, mas não chega perto de sucessos estrangeiros que conquistaram o mundo como “La Casa de Papel”, “Lupin” e “Dark”.


Há quem diga que o problema seja o modelo de negócios adotado pela Netflix no Brasil, ainda muito importado da cultura dos Estados Unidos.

A empresa costuma comprar ideias de produtoras e montar salas de roteiro para a produção das séries, alinhada com a questão representativa na seleção de profissionais.

VIU ISSO?

–> Netflix adota estratégia ‘agressiva’ contra concorrentes em 2021

–> Netflix Brasil já tem mais assinantes que TV paga, dizem analistas

–> Globoplay golpeia a Netflix em negociação

No entanto, conforme apurou o jornalista Daniel César, é um modelo que ainda não agrada a alta cúpula da empresa nos Estados Unidos e nem mesmo conquistou os brasileiros.

Portanto, tudo indica que a intenção dos executivos estrangeiros da marca é se adequar aos “moldes” de produção que fazem sucesso no país, ou seja, as telenovelas.

Ainda mais após a explosão do número de assinantes do Globoplay, assim que a plataforma incluiu “novelas antigas” no catálogo.

Mas, tudo indica que filial brasileira da “empresa do Tudum” ainda não está animada em seguir o modelo.

Conversas com antigos autores da Globo não avançaram e a empresa sabe que a produção de uma novela não funcionaria no formato de sala de roteiro aplicado.

Portanto, o conflito é que as produtoras já acreditam que uma mudança está a caminho para a Netflix Brasil, ou seja, a direção pode estar em busca de alguém para negociar com a vasta quantidade de autores disponíveis no mercado.

No entanto, não é nada oficial. Apesar de não emplacar séries brasileiras, o Brasil carrega a segunda maior base de clientes da Netflix mundialmente.

Com informações de Na Telinha (UOL)

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

1 Comment

  1. Globo nem de graça.

Leave a comment