Pressão dos EUA provoca cisão na Huawei

Para garantir a sobrevivência do negócio, companhia chinesa vende subsidiária de smartphones.

Diante da atual guerra comercial com os EUA, a Huawei anunciou nesta terça-feira, 17, que vendeu a Honor, a sua subsidiária responsável por fabricar smartphones de entrada ou intermediários.

De acordo com o comunicado da companhia, a operação visa proteger a marca, além de seus fornecedores e vendedores, já que a unidade vem sofrendo com a indisponibilidade de elementos técnicos, após os Estados Unidos proibirem que fornecedores ao redor do mundo vendam produtos para a empresa chinesa.


A Honor foi vendida para outra empresa da China, a Shenzhen Zhixin New Information Technology Co., Ltd.. O Valor do negócio não foi revelado.

Após a conclusão da venda, a Huawei não deterá nenhuma ação da Honor. A empresa fabrica cerca de 70 milhões de dispositivos por ano.

VIU ISSO?

–> Huawei deve recorrer à Justiça para não ser banida no Brasil

–> Laboratório de pesquisa 5G da Huawei pega fogo na China

–> Huawei é aprovada em avaliação de segurança da GSMA

“Esperamos que esta nova empresa de honra embarque em um novo caminho de honra com seus acionistas, parceiros e funcionários. Esperamos ver a Honor continuar a criar valor para os consumidores e a construir um novo mundo inteligente para os jovens”, disse a Huawei.

Com informações de Assessoria de Imprensa Huawei.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários