Claro se livra de multa por clonagem de WhatsApp

Cliente da operadora foi vítima de golpe e culpa a empresa pela falta de segurança da linha telefônica.

Wikimedia Commons
Imagem: Wikimedia Commons

Clonagem de WhatsApp é um golpe cada vez mais frequente no país e a culpa, na maioria das vezes, cai na conta das operadoras. Nesse caso, a acusada é a Claro.

Na ocasião, um cliente de telefonia da empresa recebeu a mensagem de um amigo, que pedia uma quantia de dinheiro emprestada.


Após o receber o contato, a vítima prontamente atendeu ao pedido e enviou uma parte do valor solicitado pela pessoa, que nesse caso teve seu número clonado.

O fato foi suficiente para que o cliente movesse uma ação judicial contra sua operadora, pela falta de segurança na linha telefônica.

No andamento do processo, a 1ª Vara Cível do Gama condenou a Claro ao pagamento de danos morais no valor de R$ 3 mil, além de ressarcir o cliente em R$ 1.100.

Entretanto, a prestadora recorreu da decisão pela falta de nexo e causalidade. Por sinal, não haviam evidências de que o número foi realmente clonado, apenas o acesso ao aplicativo WhatsApp.

VIU ISSO?

–> Nova promoção da Claro quer ‘homenagear clientes’
 
–> Claro adota estratégia para conter evasão na TV por assinatura

–> Claro pretende oferecer novo serviço de TV por assinatura, diz site

Em análise do recurso, julgadores do caso consideram que não houve diligência por parte da vítima ao transferir o valor para contas desconhecidas, sem checar a veracidade das informações.

Nesse caso, a responsabilidade objetiva não é do fornecedor, mas sim exclusivamente do consumidor, de acordo com a 8ª turma Cível do TJ/DF.

Com isso, o recurso da Claro foi aceito e a empresa se livrou da obrigação de ter que arcar com uma multa por danos morais.

Com informações de Migalhas

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários