Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais pode ser adiada para 2021

Senado aprovou projeto de lei pensando nos efeitos da pandemia do coronavírus.

Nesta sexta-feira, 3, por meio de uma votação remota, o Senado aprovou o Projeto de Lei nº 1.179/2020, do senador Antonio Anastasia (PSD-MG), que tem o objetivo de suspender temporariamente algumas exigências legais para empresas, durante o surto da Covid-19.

Entre as medidas, está o adiamento da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) para janeiro de 2021, com o início da cobrança de multas e outras sanções para agosto do ano que vem.


Aprovada em 2018, a LGPD altera o Marco Civil da Internet com a finalidade de obrigar as empresas privadas e órgãos públicos a ter um melhor tratamento dos dados pessoais da população.

A lei entraria em vigor em agosto de 2020, mas desde fevereiro a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) já deveria estar em operação, o que ainda não ocorreu.

VIU ISSO?

–> Operadoras serão multadas por vender dados pessoais

–> Usuário de celular não se sente no controle de seus dados pessoais

–> Governo vai rastrear celulares com a ajuda das operadoras

A intenção do projeto é não onerar as empresas em face das possíveis dificuldades técnicas e econômicas advindas da pandemia.

O Projeto de Lei ainda precisa contar com a aprovação da Câmara dos Deputados, antes de seguir para sanção presidencial.

Com informações de Agência Senado.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, FAÇA LOGIN para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de