Justiça proíbe corte de serviços de telecomunicações em São Paulo

Operadoras podem ser multadas em caso de descumprimento da ordem judicial.

Na última quinta-feira, 2, a juíza Natália Luchini, da 12ª Vara Cível Federal de São Paulo determinou que serviços essenciais, como o de telefonia, não poderão ser suspensos ou interrompidos, mesmo que os clientes estejam com suas faturas atrasadas. A medida vale em todo o Estado.

A ação foi movida pelo Instituto de Defesa do Consumidor (Idecon) e tem como alvo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), além da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Anp).


A juíza argumenta que muitas pessoas estão impedidas de exercerem seus trabalhos, o que gera um impacto em suas rendas para honrar despesas essenciais. Além disso, o deslocamento até as agências bancárias não é recomendado.

No entendimento da magistrada, a suspensão de serviços essenciais agrava a pandemia do novo coronavírus, tornando inviável o isolamento social. Por isso, ela cobra dos órgãos competentes o fornecimento dos serviços, mesmo em caso de inadimplência.

VIU ISSO?

–> Ministro pede que usuários não deem calote nas operadoras

–> Abrint é contra a anistia para usuários inadimplentes

–> Quarentena aumenta número de reclamações sobre internet fixa

“A suspensão do fornecimento de tais serviços não se apresenta como meio legal e adequado para compelir o pagamento das tarifas em atraso ou a vencer, implicando afronta a diversas garantias constitucionais”, diz o texto da decisão.

Além da proibição do corte, a ação civil pública determina o restabelecimento do serviço suspenso por falta de pagamento. Em caso de descumprimento as empresas terão que pagar multas, com valor a ser decidido em juízo. A proposta da Idecon era de R$ 10 mil para cada cliente afetado.

Natália propõe, ainda, que o poder executivo possa conceder incentivos fiscais para que as empresas mantenham os serviços de telecomunicações, enquanto durar a crise da Covid-19.

Com informações de Justiça Federal do Estado de São Paulo.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

1
DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, FAÇA LOGIN para comentar
1 Número de Comentários
0 Número de Respostas
1 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário com mais interação
1 Autores de comentários
Robson Paulo Autores recentes de comentários
  Acompanhar esta matéria  
o mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
Robson Paulo
Colaborador
Robson Paulo

A empresa Net Claro realizou o cancelamento de meu contrato perdendo minha linha telefônica que tinha a mais ou menos 30 anos e perdemos tudo sem aviso e com tudo pago em dia porém só porque há defasagem no preço dos planos em contato com a operadora não há nenhum pedido de cancelamento e nenhuma informação

Cidade - UF
Guarulhos SP