Israel suspende monitoramento de celulares

Mais de 200 pessoas foram presas depois que dados das operadoras apontavam que elas estavam desrespeitando a quarentena.

O governo de Israel decidiu suspender a legislação que autorizava a polícia local a solicitar dados de clientes das operadoras de telefonia móvel, como medida para monitorar o cumprimento da quarentena, por conta da Covid-19.

No mês passado, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ofereceu novos poderes às autoridades policiais para que eles obrigassem às empresas de telefonia a entregar dados de localização dos celulares da população.


A iniciativa permitiu que a polícia pudesse rastrear pessoas que eram suspeitas ou confirmadas para a doença provocada pelo novo coronavírus. Desde então, 203 prisões ocorreram a partir desses dados de geolocalização.

VIU ISSO?

–> Operadoras vão disponibilizar ‘mapas de calor’ para governos

–> Operadoras estão cautelosas quanto à entrega de dados ao IBGE

–> Somos rastreados pelas medidas de combate ao COVID-19?

A decisão de suspender o monitoramento de celulares foi tomada após a medida ser contestada pela Suprema Corte e por grupos de liberdades civis, alegando preocupações com a privacidade das pessoas.

Um membro do comitê chegou a afirmar que o dano causado à privacidade supera os benefícios.

As autoridades israelenses ainda pretendem mapear a propagação da doença e identificar indivíduos infectados, mas o rastreamento, de forma abrangente, está suspenso no momento.

Com informações de Telecoms.

A SKY tem o plano ideal para a sua TV! Aproveite já com 50% de desconto no primeiro mês. Ligue 0800 123 2040.

COMPARTILHAR EM:

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários