Fibra da Oi já compensa parcialmente queda no cobre

Operadora ainda registra resultados negativos, mas parece caminhar para um equilíbrio financeiro com a redução do prejuízo.

Divulgação Oi
Imagem: Divulgação Oi

A noite da última quarta-feira, 25, foi marcada pela divulgação de resultados referentes ao quarto trimestre de 2019 da Oi (OIBR3 / OIBR4). No entanto, antes de liberar seu desempenho, a operadora comunicou que não fará qualquer projeção futura.

O motivo é a incerteza e volatilidade no cenário macroeconômico local e internacional gerada pela pandemia do coronavírus.


Com uma receita líquida de 4.914 milhões, a queda no comparativo anual é de 8,4% e 1,8% ao lado do trimestre anterior. A queda nos serviços de cobre, tráfego e voz ainda são atribuídos como principais fatores.

Mas todo o investimento em fibra óptica não é em vão, pois a tele destaca que a receita do FTTH já compensa parcialmente a diminuição, assim como o crescimento no pós-pago e TI corporativo.

A propósito, o segmento móvel é um dos destaques da prestadora, que ocupou 31% no mercado de adições líquidas do pós-pago em 2019. Resultado de uma forte campanha para migração e venda de planos, que resultou em 15% de crescimento anual na receita.

Esforços concentrados na fibra

Um dos pontos destacados pela Oi é que execução do plano estratégico estabelecido em julho de 2019 permitiu que a empresa construísse uma base sólida para 2020.

Ao todo, foram 675 mil casas conectadas com uma conexão de fibra óptica da operadora em dezembro e 4,6 milhões de residências aptas para receber a nova tecnologia de banda larga.

Em um ano, a empresa estima alcançar mais de 8 milhões de lares com a sua conexão de ultra velocidade. No comparativo com 2018, a receita gerada pelo segmento teve um salto de 714,4% e caminha para se tornar uma boa fonte de lucro para a Oi.

Queda no cobre

No cobre, a diminuição dos serviços de voz é ainda maior do que na banda larga. Enquanto o primeiro caiu 22,6% nas receitas, o segundo serviço reduziu 16,1% anualmente.

Com a banda larga, a Oi destaca que o principal ofensor é a competição com provedores regionais, que crescem com rapidez e juntos conquistaram a liderança do mercado de internet fixa.

A maior parte dos acessos da Oi ainda são compostos pela VDSL e ADSL, mas estrategicamente, a operadora segue com impulsos para a venda da fibra e diminuições no portfólio ativo de cobre.

Já a TV por assinatura caiu 8,5%¨na análise anual e 4,6% ao lado do trimestre anterior. Para a companhia, “o resultado refletiu a estratégia de alocar mais recursos para acelerar os investimentos na Fibra, que segue oferecendo também o serviço de IPTV”.

CONFIRA OS ÚLTIMOS RESULTADOS DA OI:

–> Oi registra queda de 9,6% na receita do primeiro trimestre de 2019

–> Oi diminui receita e aumenta dívida; entenda os resultados da marca

–> Prejuízo da Oi cresce 330% em relação a 2018

Receita do móvel

Enquanto o pré-pago caiu 10,3% anualmente, o pós-pago teve um impulso de 23,1%. Para conseguir os resultados, a marca investiu na divulgação de um novo portfólio e incentivou a migração dos clientes, com base da migração de voz para dados.

Alguns fatores influenciam a queda do pré, como a desconexão de clientes inativos, migração para o pós e a consolidação de chips no mercado.

O refarming da faixa de frequência de 1.8GHz para o 4G e 4.5G fortaleceu para que a empresa registrasse bons resultados no segmento pós-pago, conforme destaca na divulgação dos resultados.

B2B, corporativo e atacado

A receita líquida do B2B sofre impacto da diminuição do tráfego de voz. Anualmente, uma queda de 7% foi registrada e o resultado financeiro ficou em R$ 5,528 milhões. Uma recuperação econômica lenta do país retarda o crescimento do setor, segundo a Oi.

Já a receita do corporativo cresceu em meio a um novo posicionamento da companhia, com a oferta de soluções integradas, iniciativa anunciada em dezembro de 2019. O aumento foi de 17,3% anualmente e manteve a estabilidade na comparação com o trimestre anterior.

A base de clientes cresceu 8,2%. Já no atacado, a queda foi de 31,2% em função do acordo com a Vivo em 2018 para liquidação de valores em aberto no valor de R$ 84,9 milhões.

Resultados gerais

Um ponto importante a destacar na divulgação da Oi é que o prejuízo da operadora reduziu em 32,6% de outubro a dezembro. Ao todo, são 2,263 bilhões, mas se levar o que foi acumulado durante o ano, são R$ 9 bilhões.

O EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 1,016 bilhão, com diminuição de 19,1% no trimestre.

Durante o ano, a operadora investiu R$ 7,842 bilhões e dedicou R$ 1,991 bilhão para o quarto trimestre. A receita líquida total consolidada em 2019 foi de R$ 20.136 milhões, 8,7% a menos do que em 2018.

COMPARTILHAR EM:

COMENTÁRIOS MAIS BEM AVALIADOS DO MÊS

55

Banco Inter vai distribuir gratuitamente 7 mil chips da Intercel

é um chip degustação, esperava o que? rs
  • 01/07/2020 by Luiz Carvalho

48

Banco Inter vai distribuir gratuitamente 7 mil chips da Intercel

dados atualmente não são problemas para as grandes operadoras, e mesmo assim, mta gente não se sente satisfeito, pois a escolha depende de outros fatores tbm. Ex: Oi oferece pacotes gigantescos de dados e sinal ruim…outras não se sentem bem atendidos, ou enfrentam problemas diversos…esses dias o vivo easy prime deu um BO impedindo que fosse realizado chamadas, Claro Flex tem um plano maravilhoso e um aplicativo péssimo…todas tem prós e contras, e cada consumidor tem uma medida do que é mais importante pra si mesmo.
  • 01/07/2020 by Luiz Carvalho

42

Consumidor presta queixa contra comercial de Vivo Fibra

Meu deus do céu. Esse povo tá chato demais. Essa geração mi-mi-mi tá um saco.
  • 20/06/2020 by Tauan Fontoura

36

‘TIM Beta’ e ‘TIM Pré’ vão perder alguns benefícios

A Tim só tem um pouco mais de vantagem no pré pago, devido ter Facebook Twitter e Messenger e whatsapp, agora se começar a regular uso, com certeza a Claro vai ser o melhor plano. Tenho e não troco por nenhuma.
  • 02/07/2020 by Roberto Ramos

36

‘TIM Beta’ e ‘TIM Pré’ vão perder alguns benefícios

O TIM Black e os planos controle também sofreram essas medidas. Isso vai fazer a Claro roubar os clientes da TIM.
  • 02/07/2020 by Jefferson Rodrigues

COMENTÁRIOS RECENTES DE TODO O SITE

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Carlos Ricardo da Silveira

Ótima matéria. Uma correção: O Ebitda aumentou 3,8% na comparação trimestral de R$ 979 milhões para R$ 1,016 bilhão na comparação trimestral.

Cidade - UF
Porto Alegre - RS
Mvinicius

A Oi ressurgindo como uma Fenix. Espero que nao venda a operacao movel, os planos da Oi sao imbativeis, e aqui em Salvador BA, a Oi nao perde em nada para as demais operadoras, fora que precisamos muito de mais concorrencia.

Cidade - UF
Salvador BA
radiogirassol

Muitos reclamando da OI em expandir sua fibra por aí e deixando de lado por enquanto a telefonia móvel, quem sabe ela não consiga com isso resultados positivos antes de vender sua fatia móvel e com isso vir com tudo no 5G, onde o 4G não é bom vão usando aquela que é e onde o 4G da Carioca voa vamos aproveitar seus planos agressivos e aguardar melhorias vindouras. Mas a estratégia agora é buscar dinheiro na fibra onde o campo é bom.

Cidade - UF
Belo Horizonte/MG
André

No início de 2019 eu adquiri o plano controle da Oi, de R$ 99,00, com 50 GB de internet, e com YouTube e Netflix liberados. Até tive que pagar multa na Tim pra fazer a portabilidade da minha linha, onde eu tinha fidelidade. Até comecei assinar o YouTube Premium por causa disso. Parecia uma maravilha… na teoria, porque na prática era um inferno. Moro numa cidade grande, região metropolitana de Porto Alegre/RS, e mesmo assim o sinal da Oi era uma porcaria, sendo que nos grandes centros geralmente o sinal é bom. Era comum estar sem sinal. Tinha semanas que,… Leia mais »