TIM perdeu mais de 2 milhões clientes pré-pagos

Evasão foi compensada pelo aumento no pós-pago da operadora, que também registrou alta na receita líquida; entenda os resultados.

Divulgação TIM
Imagem: Divulgação TIM

Os movimentos da TIM (TIMP3) para fortalecer uma migração do pré para o pós-pago parecem registrar bons resultados. No último trimestre de 2019, a operadora perdeu em um, mas cresceu no outro.

São iniciativas já sentidas pelos usuários. Ações como o aumento do valor dos planos pré-pagos mais utilizados, assim como o maior investimento em ações de divulgação para o TIM Black e outros refletem a nova intenção da prestadora.


E os resultados são positivos. De acordo com a nova divulgação, o lucro líquido cresceu 28,7% anualmente e registrou R$ 756 milhões para os cofres da marca.

O Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) evoluiu 2,1 ponto percentual, com 42,9%.

Todas as perdas da TIM são referentes aos clientes pré-pagos. A evasão foi de 2,7 milhões de clientes, mas tudo foi parcialmente compensado pelo acréscimo no pós-pago, que cresceu 6,1% e totalizou 21,5 milhões de usuários em dezembro.

VIU ISSO?

–> Reajuste do TIM Beta gera insatisfação na internet

–> TIM anuncia encerramento das ofertas Pré Infinity

–> Lucro ajustado da TIM cresce 61% no terceiro trimestre

São os clientes considerados mais “caros” pelas empresas, os que criam fidelidade e se comprometem com valores mais altos mensalmente.

Já a retração do pré-pago é justificada pelo elevado volume de ativações e cancelamentos, movimento chamado de “washing machine” pela TIM.

A empresa destaca que o investimento no TIM Pré Top foi acertado a manteve sua liderança no segmento. No índice que mede o gasto do usuário, o pré-pago cresceu de 12% para 12,9% no comparativo trimestral.

Os outros produtos da operadora também apresentaram crescimento. A TIM Live, banda larga fixa, terminou o trimestre com 565,8 mil conexões.

Anualmente, é um crescimento de 21,1%. Já o 4G oferecido pela tele conta atualmente com 86% de disponibilidade e 3.477 cidades cobertas.

A demanda cresceu, pois a base de usuários chegou em 38,6 milhões de pessoas e o avanço foi de 12%.

Para os próximos meses de 2020, é esperado que a operadora faça ainda mais investimentos nos planos pós-pagos para aumentar seu market share no segmento.

Outro movimento esperado é a possível compra da Oi Móvel, onde a TIM pode obter 70% das operações da tele carioca.

COMPARTILHAR EM:

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Gustavo Azevedo

Eu sou um desses clientes, migrei para o Vivo Easy.

Cidade - UF
Pirapora - MG
Tailor Durante

Não sei o que se passa na cabeça do brasileiro, gosta de pagar caro, não tem geito. E ficam amarrados nesses planos pós.

Cidade - UF
Lindoeste PR
Renata Viana Silva

Tomara que a TIM ou a Vivo comprem a Oi. Nao gostaria que a Claro comprasse a Oi.

Cidade - UF
Anapolis
Milly Jam

Na aquisição da Oi, posso afirmar com certa certeza que a Claro está fora da Jogada!!!

Cidade - UF
Manaus, Am