Parceria com a TIM enaltece Deezer no Brasil

Streaming é a segunda plataforma mais ouvida pelos brasileiros e tem planos para ir além.

Divulgação Deezer
Imagem: Divulgação Deezer

Atualmente, o Deezer se tornou uma boa alternativa ao Spotify. Especialmente para os clientes da TIM (TIMP3), que ganham acesso gratuito na plataforma em determinados planos da operadora.

Agora, o popular streaming de músicas ganhou um novo diretor no Brasil, Marcos Swarowsky, que chega com a missão de fazer o aplicativo crescer ainda mais e conquistar de vez os brasileiros.


Com passagens pela Microsoft, Diageo, AOL e Expedia, o executivo entra com o desejo de tornar o serviço mais popular, ou seja, fazer com que ele seja acessível para todo tipo de público.

Afinal, apenas 5% da população no país mantém uma assinatura de streaming musical, mas não são números alarmantes para o Deezer.

O serviço é a segunda plataforma do segmento mais acessada no país, depois do também popular Spotify. Com uma biblioteca de 56 milhões de músicas, o Brasil tem sua importância no sucesso.

Das 100 músicas mais ouvidas, 95 são de artistas nacionais. O crescimento em 2019 foi de 30%.

VIU ISSO?

–> Clientes corporativos da TIM ganham acesso ao Deezer

–> Deezer, parceira da TIM, ganha recursos de playlists personalizadas
 
–> Depois de 2 semanas, Deezer diz que problema com a TIM foi resolvido

ECONOMIZE! 💰 Compare os planos das operadoras de celular e escolha o mais vantajoso para você.

E uma das grandes responsáveis pelo sucesso do Deezer é a TIM. A operadora firmou uma parceria com a plataforma e oferece acesso gratuito para assinantes de planos diversos, até mesmo o pré-pago exclusivo TIM Beta.

É relevante que os usuários possam acessar sem desconto na franquia contratada, novidade que é oferecida pela prestadora.

Mas, de acordo com Swarowsky, não existe receita para o sucesso. O projeto a partir de agora é educar o brasileiro a respeito do consumo de áudio digital e iniciar uma caçada particular por novos modelos de negócio que façam o Deezer crescer.

“Um dos desafios é descobrir qual o modelo de negócios para que todos os brasileiros tenham oportunidade de escutar a Deezer. E ter uma experiência mais humana e personalizada”, pondera o executivo.

Como exemplo, o novo diretor cita que ninguém um encontrou um modelo ideal de streaming para usuários de planos pré-pagos.

E a ideia parte de conceitos como esse, buscar novos modelos de negócio para atender a todo tipo de demanda no Brasil.

Atualmente, o Deezer conta com uma assinatura gratuita com publicidade, além de planos com custos de R$ 16,90 e R$ 26,90, que contam recursos diversos e modo offline.

Com informações de StartSe

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
6 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários