Netflix desmente lançamento de planos com anúncios

Empresa deu fim aos rumores e segue com foco na satisfação e experiência de uso dos clientes.

Smartphone com Netflix
Imagem: Flickr

A agressiva concorrência do mercado de streaming não vai acarretar grandes mudanças na Netflix. Ao menos é o que garante Reed Hastings, CEO da marca. O lançamento de planos com anúncios, por exemplo, está oficialmente descartado.

Os rumores circulam desde o ano passado, principalmente depois que foi calculado um lucro de US$ 1 bilhão anual, caso a plataforma passasse a contar com anúncios publicitários antes da transmissão de seus conteúdos.


Mas, de fato, a prática é arriscada e pode trair a proposta inovadora que a gigante do streaming trouxe para o mercado de entretenimento desde que surgiu com o negócio.

Para muitos analistas, a medida era vista como necessária para que a companhia continuasse competitiva, pois os gastos com produção de conteúdo original só crescem e os lucros precisam acompanhar.

A inserção de propagandas já é uma tendência de mercado. Gigantes como Google, Facebook e Amazon já adotaram, mas não é isso que vai convencer a Netflix.

VIU ISSO?

–> Campanha de boicote à Netflix tem efeito contrário

–> Netflix se alia a poderosa TV por assinatura no exterior

–> Netflix pode perder milhões de assinantes em 2020

Reed Hastings argumenta que seria uma desvantagem entrar no segmento que já é dominado por outras gigantes de tecnologia. A Netflix tem um negócio simples e focado no prazer dos usuários.

O CEO acredita que o grande diferencial é ter uma atuação que não se iguala com a concorrência e pode obter receitas e lucros ainda maiores, justamente por não entrar na disputa por anunciantes.

Anúncios viabilizam planos mais baratos nos serviços. O Disney+ é um exemplo, pois terá uma assinatura mais acessível e com publicidade.

O Peacock, da NBCUniversal, vai oferecer acesso gratuito viabilizado pela inserção de propagandas.

Mas nem tudo são flores e a Netflix se livra de uma grande dor de cabeça ao não explorar essa estratégia para aumentar suas receitas.

Destacamos aqui toda a polêmica relacionada com a coleta de dados e invasão de privacidade dos usuários que pagam.

Sobre a questão, Hastings finaliza e explica que a pretensão é ser um descanso seguro para o usuário curtir e relaxar.

Com informações de Tecmundo

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de