Netflix se alia a poderosa TV por assinatura no exterior

Acordo de distribuição entre as duas marcas foi renovado para mais dois anos.

Divulgação Sky Originals
Imagem: Divulgação Sky Originals

A Sky britânica fortaleceu seu vínculo com a Netflix e renovou o contrato de distribuição com a empresa por mais dois anos. A relação das duas pode refletir um futuro de parceria entre TV paga e streaming?

Antes de tudo, é necessário explicar: o conglomerado de mídia britânico Sky é de propriedade da Comcast (conhecida também como dona dos estúdios NBCUniversal) e, atualmente, não possui relações com a brasileira SKY, comandada pela operadora americana AT&T.


Com operações no Reino Unido, Irlanda, Alemanha, Áustria, Suíça, Itália e Espanha, a maior TV por assinatura da Europa passará a oferecer a opção de contratar um plano básico da Netflix na oferta Sky Q.

Stephen Van Rooyen, CEO da companhia no Reino Unido e na Irlanda, destaca que os clientes da marca adoram o conteúdo da Netflix. É por isso que a parceria continua forte e bem-vinda para as operações.

VIU ISSO?

–> Desejada por brasileiros, a AT&T é mesmo tudo o que dizem?
 
–> Concluída fusão entre a dona da SKY, AT&T, e a Time Warner

–> Fundo investidor da AT&T defende venda da SKY

A prática é semelhante ao que já presenciamos no mercado brasileiro, com a Claro net tv e Vivo TV, que disponibilizaram canais exclusivos para seus assinantes assistirem Netflix e assinarem o serviço diretamente pela fatura.

Já podemos citar que uma parceria nesse molde é tendência mundial, mas a Sky britânica se fortalece também com seus estúdios.

A companhia já possui um catálogo de produções originais. Uma delas é a minissérie Patrick Melrose, estrelada pelo astro Benedict Cumberbatch. O show venceu o Emmy, prêmio mais importante da TV mundial.

Nos EUA, a exibição ficou a cargo do Showtime, mas diversos serviços ganharam a oportunidade de fazer a distribuição internacional. Um deles foi o Globoplay, que trouxe a série para o Brasil.

Por aqui, a prática é impossível por conta da Lei da TV paga, também conhecida como Lei do Serviço de Acesso Condicionado. Há uma proibição para a propriedade cruzada no mercado, ou seja, uma empresa que distribui TV por assinatura jamais pode comandar uma que produz conteúdo.

Com informações de BroadBand TV News

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de