Smart TVs viram porta de entrada para hackers

Para as que possuem câmeras, o usuário deve tampá-las com um adesivo em prol da própria privacidade.

Ilustração hacker
Imagem: Unsplash

As Smart TVs se tornaram o sonho de consumo de qualquer família brasileira. Afinal, quem não quer ter o luxo de ter todos esses aplicativos de streaming ao alcance único do controle remoto? É um conforto aliado com a praticidade.

Entretanto, é necessário ficar em alerta com os poderosos televisores. O motivo? A fragilidade cibernética que muitos modelos apresentam, ponto que pode ser facilmente explorado por um hacker e colocar o usuário em risco.


O principal risco pode ser a espionagem. Aqui, as vítimas são as TVs com câmeras e microfones. Um ataque pode facilmente instalar um aplicativo secreto, sem a permissão do usuário, para gravar e acessar os recursos em tempo real.

Portanto, a principal recomendação é optar por dispositivos que não tenham as funcionalidades, ou começar com a inclusão de uma fita adesiva para tampar a câmera quando ela não estiver em uso. Já é uma garantia para a própria privacidade.

Mas espionagem não é coisa de pessoas importantes? Membros do governo? Empresários ricos? Não necessariamente. Um ataque pode escolher vítimas aleatórias para espionar, conseguir informações pessoais e fazer ameaças em troca de dinheiro ou outros bens.

VIU ISSO?

–> Hackers podem estar infiltrados em empresas de telefonia

–> Um em cada quatro roteadores é vulnerável a ataques de hackers
 
–> Golpe: Hackers usam falsas vagas de emprego para roubar dados do Facebook

Os modelos mais suscetíveis aos ataques são as TVs com Android. Pois o sistema operacional e suas fragilidades já são velhos conhecidos dos hackers. Softwares desenvolvidos pela marca da TV podem ser mais difíceis.

Entretanto, invadir uma Smart TV é mais fácil do que atacar um notebook, por exemplo, segundo especialistas.

Para se proteger, a principal dica de segurança é manter sempre o sistema da televisão atualizado. É possível ligar para que as atualizações sejam feitas de forma automática, mas o usuário deve sempre consultar.

Tudo o que não for utilizado pode ser desabilitado, como câmera e microfone. Configurações de segurança disponíveis como os protocolos WEP, WPA e WPA2 também devem ser habilitados.

A personalização da privacidade, como clicar em não autorizar o uso dos dados pessoais aos fabricantes e terceiros, é fortemente recomendada.

Até mesmo o FBI já emitiu alertas sobre a segurança das Smart TVs. Invasores podem brincar com volume, troca de canais, mostrar conteúdos inadequados para crianças e até mesmo espionar uma pessoa em seu próprio ambiente pessoal.

Com informações de Tilt (UOL)

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, FAÇA LOGIN para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de