Verizon oferece Disney+ de graça e derruba ações da Netflix

Estúdio de Hollywood acirra competição com a Netflix mesmo antes do lançamento da sua plataforma de streaming.

Disney+
Imagem: Divulgação

Perto do lançamento do Disney+, plataforma que deve se tornar a principal concorrente da Netflix, a gigante do streaming trouxe boas novidades para o mercado. A receita cresceu em 31% e a empresa registrou cerca de 6,7 milhões de novas adesões, um número significativo.

Entretanto, mesmo antes do lançamento de sua plataforma, a Disney mostrou não está sem cartas na manga.

Poucos dias após a divulgação de resultados da concorrência, foi anunciado que os clientes da operadora Verizon terão assinatura do Disney+ gratuita por um ano. As adesões poderão ser realizadas no dia 12 de novembro.

O anúncio, obviamente, gerou alvoroço no mercado americano. As duas marcas (Disney e Verizon) operam em alta na bolsa de valores de Nova York. A primeira subiu 2,20% enquanto a segunda 0,21%, com valor de US$ 60,88 nos papéis.

Já a Netflix registrou uma baixa de 3,01% e os valores passaram a ser negociados por US$ 269,56.

VIU ISSO?
Catálogo do Amazon Prime Vídeo ganhará filmes e séries da Disney
Disney proíbe comerciais da Netflix em seus canais de TV
Plano básico do Disney+ terá 4k e suporte para 7 perfis

Para Hans Vestberg, diretor-presidente da Verizon, a parceria é só um exemplo do compromisso da marca em oferecer o melhor conteúdo premium disponível na atualidade.

Nos próximos meses, a disputa entre as duas gigantes marcas de entretenimento promete ser ainda mais acirrada. Especialmente com o lançamento dos conteúdos exclusivos e possível previsão de data para a expansão global do Disney+.

No Brasil, por exemplo, a plataforma já possui um site para registro de interesse e lançamento agendado para a segunda metade de 2020. Um anúncio com valores e data pode ser feito em breve.

Em toda essa disputa de Disney e Netflix, a empresa do Mickey tem vantagem, pois não precisa da monetização do streaming para obter lucro, ao contrário da sua concorrente.

Com isso, a nova plataforma virá com a possibilidade de trazer preços baixos e conteúdos com alto poder de atração, devido aos grandes sucessos de bilheteria da marca.

A competição entre ambas já é tão gigante que a Disney, recentemente, proibiu anúncios da Netflix em toda a sua rede de TV. Qual será o resultado dessa disputa? Será que o poder de uma poderá deter a consolidação da veterana? Nos resta aguardar para saber.

Com informações do SUNO Research

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários