Mais uma: Vivo diminui comissão de recarga para revendedores

Em nota, aplicativos como o RecargaPay e Celcoin informaram a respeito da nova imposição da operadora.

Site da Vivo
Imagem: Site da Vivo

Nos últimos dias, um comunicado da Vivo obrigou todos os aplicativos digitais de recarga no Brasil a limitarem em 2% a comissão aos revendedores. A nova porcentagem começou a vigorar no dia 07 de outubro, última segunda-feira.

A informação foi compartilha em nota pelo RecargaPay e Celcoin. O segundo destacou que tentou encontrar uma solução que não afetasse os lucros da operadora, mas não obteve sucesso.


Já o RecargaPay comemorou o fato de ser visto como um canal estratégico e disse que terá novas ofertas Vivo e ainda mais oportunidades aos seus usuários.

O aplicativo manterá o “cashback” de 5% para os usuários, mas também não esclareceu como isso será subsidiado. No comunicado, a empresa destacou o compromisso de manter as melhores condições para seus parceiros.

Mas a comissão para revendedores segue de 2%. A porcentagem de 5% será apenas para o bônus que é devolvido aos usuários que fazem recargas pelo aplicativo.

VIU ISSO?
Claro diminui taxa de comissão das recargas e afeta aplicativos
Oi segue exemplo da Claro e reduz taxa de remuneração das recargas
Vivo é premiada no WEPs Brasil por empoderamento feminino

Já o Celcoin confirmou que o bônus passará a ser de 2% para os usuários, com a mudança que afeta todos as plataformas de recarga.

Em julho, a Claro adotou a mesma prática e, dias depois, a Oi seguiu o exemplo. Um comerciante que vender uma recarga de R$ 20 terá apenas R$ 0,40 centavos de comissão.

Na época, o RecargaPay seguiu a mesma política e não alterou valor de bônus oferecido aos seus usuários. Procurada, a assessoria da Vivo ainda não se manifestou sobre o assunto.

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de