Início5GBolsonaro viaja para a China, mas 5G está fora do radar

Bolsonaro viaja para a China, mas 5G está fora do radar

Tema não está na pauta dos encontros entre Brasil e China, apesar do alvoroço pela chegada da tecnologia.

Presidente Jair Bolsonaro
Imagem: Palácio do Planalto

Apesar de muito debatido e aguardado, o 5G ainda não está na pauta das viagens do atual presidente do Brasil. Nesta terça-feira, 22, direto do Japão, Jair Bolsonaro se limitou a dizer que o tema “não está em seu radar”.

Todas as discussões com representantes chineses sobre a chegada da tecnologia contaram com a participação de Hamilton Mourão, vice-presidente. De toda forma, a declaração do presidente soa abrangente e pouco esclarecedora.


Afinal, pode ser que a conectividade de quinta geração esteja fora das prioridades do governo no momento ou apenas não será abordada na atual viagem de Bolsonaro até a China.

No entanto, Ernesto Araújo, ministro de Relações Exteriores, esclareceu e enfatizou que a nova geração da conexão móvel não é uma pauta dos encontros entre Brasil e China.

VIU ISSO?
Oi e Claro pedem que governo não barre a Huawei
–  5G da Huawei no Brasil pode atrapalhar parceria com os Estados Unidos
5G poderá substituir banda larga fixa residencial

É provável que a grande expectativa esteja concentrada nas prováveis conversas que o governo brasileiro terá com a Huawei, principal fornecedora de infraestrutura para a as redes móveis do país.

A gigante chinesa espera participar do leilão 5G em 2020, mas pode não ser tão simples quanto ela imagina. Atualmente, a marca tem uma relação conturbada com os Estados Unidos e isso a coloca em “maus lençóis” no mercado ocidental.

O governo brasileiro já deu sinais que vai manter a companhia no leilão, mas as coisas podem mudar.

O aguardado leilão do 5G tem um lucro estimado de R$ 20 bilhões e metade desse valor vai para os cofres do governo. Além do mais, a tecnologia representa muito mais que uma nova versão do 4G.

Trata-se de uma nova revolução industrial que abrirá muitas possibilidades de negócio, mesmo que isso ainda demore devido aos estágios iniciais de operação da tecnologia.

Com informações da EXAME

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]

3 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
3 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários