InícioDefesa do ConsumidorSKY é multada em R$ 2,9 milhões por propaganda enganosa

SKY é multada em R$ 2,9 milhões por propaganda enganosa

Segmento pré-pago da operadora de TV por assinatura entrou na mira do Procon-SP.

Divulgação da SKY no Facebook
Imagem: Divulgação da SKY no Facebook

A SKY recebeu uma multa de R$ 2,9 milhões do Procon-SP. O serviço da prestadora que entrou mira do órgão foi o SKY Livre, parte do segmento pré-pago de TV por assinatura. O motivo? Propaganda enganosa e prática abusiva na comercialização dos produtos entre 2011 e 2015.

Nas considerações do Procon, a operadora não esclareceu que o serviço seria cortado assim que o sistema de TV migrasse do analógico para o digital. Informação que devia ser passada com transparência e atenção para o consumidor.


A relação da marca com seus clientes também foi questionada nos últimos dias. Diversos assinantes alegam que a empresa fez atualizações de pacote e aumentou os preços sem aviso.

Em contato com o atendimento da SKY, os clientes alegaram que a operadora justifica a alteração como uma atualização e os avisos foram enviados pelas mensagens que ficam no decodificador.

VIU ISSO?
SKY muda pacotes de assinantes sem autorização e gera polêmica
Sky testa serviço mais barato via aplicativo para TV paga ao vivo
AT&T está disposta a fechar canais no Brasil para não perder SKY

Entretanto, todos questionam e enfatizam que não receberam qualquer notificação da companhia, que chegou a incluir até mesmo serviços adicionais na oferta dos clientes, sem qualquer solicitação.

A empresa ainda não se pronunciou a respeito dos assuntos supracitados.

Além de polêmicas recentes, a marca tem um futuro de incertezas com todo o imbróglio que envolve a AT&T no Brasil, sua controladora. A gigante americana comprou o grupo de mídia Time Warner, mas encontra barreiras na legislação brasileira.

Em caso de uma decisão não favorável, a venda da SKY poderá ser recomendada, mas não parece estar nos planos da americana, que cogita retirar os canais Warner da TV paga justamente para não precisar negociar a empresa.

Com informações da jornalista Mônica Bergamo, Folha de S. Paulo

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]

9 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
9 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários